The End of the F***ing World – A nova série da Netflix

The End of the F***ing World  estreou em Channel 4 e All 4 no Reino Unido em 24 de outubro de 2017 e foi lançada, exclusivamente pela Netflix, internacionalmente no último dia 5, baseada na série de quadrinhos homônima de Charles S. Forsman. A série de oito episódios conta com a participação de Alex Lawther e Jessica Barden como protagonistas.

A trama conta a história de James, um jovem de 17 anos com tendências psicopatas, sem demonstração de sentimentos e que mata regularmente animais. Tendo ficado entediado e ao surgir a oportunidade, ele decide matar Alyssa, uma colega de escola problemática, que decide namorar com ele. Assim que estreou, o programa recebeu aclamação esmagadora, tanto a escrita, quanto as performances de Lawther e Barden, a produção e o enredo foram muito bem aceitos e louvados pela audiência.

Sinopse
James é um jovem de 17 anos que acredita que ele é um psicopata, matando regularmente animais como hobby, mas ficou entediado com isso. Depois de se familiarizar com Alyssa, uma companheira de escola rebelde, ele decide matá-la enquanto ambos embarcam em uma viagem.

No mundo, The End of the F***ing World recebeu aclamação generalizada. A série atualmente possui uma classificação de aprovação de 100% no site do agregado de revisões Rotten Tomatoes  já a Metacritic  atribuiu uma pontuação de 82 de 100. O Revisor Daniel Fienberg, do The Hollywood Reporter, elogiou a escrita, os personagens e a trilha sonora da série, além de elogiar os desempenhos de Alex Lawther e Jessica Barden, chamando a série de uma “jóia de comédia de pitch-black”.

Particularmente, gostei muito da série, claro que imaginava que seria muito menos romântica do que foi, de certa forma o humor negro torna a série especial e engraçada, mas no fundo não deixa de ser um romance juvenil. Parece um pouco com minha vida, muitos erros cometidos sem ter noção de como resolver ai acabo piorando as coisas e por fim me ferro. Tenho que concordar que a atuação dos protagonistas são de fato sensacionais, e a transição do James Psicopata para o James apaixonado é linda, vamos assistindo e percebendo o quanto os dois jovens, com problemas familiares só querem de fato pertencer a uma família, e por isso fazem tanta merda.

O interessante da série é que tanto Alyssa, quanto James, deixam que muitas coisas aconteçam com eles sem pensar muito no porquê. É como se eles deixassem a vida levar eles para algum lugar, como se estivessem perdidos ou em depressão a ponto de o que quer que aconteça está bom; Por exemplo, a tentativa de Alyssa de superar suas inseguranças através do sexo – mesmo nunca ter chegado de fato a fazer – e a forma que James permite que todos a sua volta façam o que bem entendam com ele também mostra isso.

Outro personagem que destaco é a Detetive Eunice, que apesar de sofrer um leve abuso de sua parceira, ela dá a volta por cima e decide seguir seus instintos acreditando na inocência dos jovens e entendendo a vida complicada que ambos tiveram.

No geral a série é muito interessante e vale a pena assistir, eu maratonei, e posso dizer que como os episódios são curtos é rápido e flui super bem. Se você assistiu, ou já leu a HQ, e quiser pode vir aqui e dizer o que achou.

(Visited 47 times, 2 visits today)

Deixe uma resposta