3 passos para ter mais autoconfiança:

Não restam dúvidas de que a autoconfiança é fator fundamental para a realização pessoal e profissional.

Quem confia em si tem mais segurança para ir em busca dos próprios objetivos e vencer qualquer obstáculo.

Mas como ser autoconfiante numa sociedade que cada vez mais cobra para que nos enquadremos em padrões? Como construir a autoconfiança se muitas vezes sequer aprendermos a valorizar a nós mesmos, em nossa singularidade, com qualidades e defeitos?

Percebo cada vez mais em meus atendimentos de coaching que a falta de confiança em si é o que faz muitas pessoas perderem grandes oportunidades.

Não há uma receita infalível e muito menos devemos ditar regras do que seria mais correto para ter autoconfiança.Mas com base em minhas próprias experiências e no que observo há anos, em pesquisas e no comportamento humano, listo abaixo o que considero os 3 grandes passos para qualquer pessoa começar a exercitar a autoconfiança e não deixar que tempestades momentâneas abalem a evolução pessoal:

Passo 1 – Quem é você?

Responda sinceramente: quem é você? E essa resposta não é a mesma que você dá ao preencher perfis de redes sociais. Saber quem você realmente é o primeiro passo para ter mais autoconfiança. Ter noções dos seus pontos positivos e das suas dificuldades, além de saber dos próprios limites, é essencial para se conhecer de verdade.E quando nos conhecemos e aprendemos a nos amar e respeitar como somos, estruturamos melhor o emocional e nosso índice de autoconfiança cresce. Seus valores e princípios estão claros para você? Já experimentou escrevê-los?


Passo 2 – O que você quer da vida

O que você realmente quer da vida? Você estuda, trabalha, diverte, alegra-se, fica trsite e por aí vai. No entanto, qual seu verdadeiro propósito? O que você extrai da vida? Como aproveita as oportunidades, a relação com as pessoas e as chances de aprender? Você faz valer a pena cada dia, independentemente se eles são perfeitos ou como você imaginava? Responder a estas questões nos deixa mais centrados e certos de nossa missão no mundo. E nada melhor do que ter direções para nos sentirmos mais autoconfiantes.


Passo 3 – Pelo quê você quer ser lembrado?

O que você escreve nas páginas do seu livro da vida? Ou melhor: você escreve algo ou ultimamente as linhas  ficam em branco? O que você faz hoje e o que você fala que faz a diferença na vida das pessoas que o cercam? Não é preciso ser famoso, rico ou alguém com ações grandiosas. Todos nós temos nosso papel neste mundo e, em algum nível, nossa conduta afeta a vida de outras pessoas e o próprio curso da história.

Sendo assim, qual a sua contribuição? O que fará com que as pessoas lembrem de você quando já não mais estiver aqui?

Repost – O Segredo

Saindo da Zona de Conforto – 1 mês de pós-bariátrica

Olá, demorei mas voltei.

Bom, eu não me dei bem fazendo vídeos, então acho mais fácil falar aqui sobre meu processo de emagrecimento. Até gostei de gravar e tal, mas demora demais e aqui é tão mais fácil chegar e colocar tudo o que estou pensando.

No ultimo dia 10, eu fiz um mês de operada. Perdi um total de 11kg até agora, estou comendo quase de tudo. Pelo menos tudo que é saudável e natural estou comendo. Fui liberada para fazer exercícios aeróbicos e quero iniciar logo meu Fit Dance.

Além disso, estou me sentindo bem sabe. Sem dores, sem desesperos. Está indo tranquilo. Entalei um dia e foi horrível, mas agora eu entendi e estou comendo melhor, mastigando melhor.

Fora tudo isso, eu tenho dias como antes, com altos e baixos. Ainda me sinto deprimida,  e na maior parte do tempo, abandonada e sozinha. Mas como minha psicóloga disse é preciso ter paciência. Calma porque as coisas vão melhorando aos poucos.

Sou muito grata por tudo que tenho, mas parece que sempre falta algo. Eu sei o que é, mas não estou pronta pra isso ainda.

Enfim, por hoje é isso..

 

Tentei desistir dos homens por um mês

RepostVice

Uma das consequências de ser tão pública sobre minha vida amorosa é a quantidade de conselhos amorosos que recebo de amigos, conhecidos, estranhos e até alguns homens que já estiveram dentro de mim. Alguns conselhos dão raiva, como quando as pessoas me incentivam a ficar com alguém com quem claramente não tenho química simplesmente porque a pessoa gosta de mim. Mas o conselho que mais recebo é simplesmente parar de tentar. Esse é o enredo de incontáveis comédias românticas, e muitos dos meus amigos que estão em relacionamentos dizem que aconteceu com eles. “Encontramos um ao outro quando não estávamos procurando ninguém.”

Minha vida amorosa é cheia de tentativas. Estou em vários sites de encontro, perpetuamente indo a encontros às escuras, e saio várias noites por semana na esperança de talvez conversar com um estranho que não vai me matar. E ainda não consegui sair com ninguém por mais de alguns meses (se tanto). Pior ainda, vivemos numa era onde um uma mulher jovem admitir que gostaria de estar apaixonada é visto como brega e trágico. Bom, estou cansada de fingir que estou de boa. Quero o romance meloso que vem sendo enfiado na minha garganta por filmes, TV e livros desde que comecei a processar informação.

Então decidi fazer um jejum de macho. Um mês inteiro sem sair com ninguém que conheci pela internet, nada de transas casuais, nenhum encontro romântico de nenhum tipo a menos que alguém pareça realmente interessado em casar comigo, ter filhos e acariciar meu cabelo quando eu finalmente sucumbir a alguma doença de idoso. E foi assim:

Semana Um

Primeiro eu tinha que deletar todos os aplicativos de encontros que eu tinha: Tinder, Bumble (Tinder preppy), Happn (Tinder beta), Feeld (Tinder de ménage) e OkCupid (o Tinder original). Pronto. Segundo passo, deletar os telefones dos homens para quem ligo em casos de emergência de tesão. Depois de me livrar deles no meu celular, o terceiro e último passo era deletar o número de um skatista por quem tenho um crush há meses e pode ou não ter namorada. Essa limpeza me fez sentir como quando você faz um teste de DST e dá negativo: sou virgem de novo! Agora eu era uma placa limpa de todos os pintos do passado e estava pronta para um jejum de homens.

“Ficar fora dos aplicativos me fez perceber quanto da minha vida é dedicada a eles.”

Essa primeira semana foi bastante parada. Nada aconteceu para que eu conhecesse garotos, o que parece uma novidade para mim. O mais perto que cheguei disso no passado foi quando um cara deu match comigo no mesmo café, depois me mandou mensagem dizendo que tinha me visto. Transamos naquela noite e ele se mudou para a Argentina no dia seguinte. Não nos falamos desde então.

Ficar fora dos aplicativos me fez perceber quanto da minha vida é dedicada a eles. Eu achei que não ficava tanto tempo nos apps, mas a realidade é que usar os aplicativos se tornou uma parte tão regular da minha rotina que não parecia que eu fazia tanto isso. Isso é triste? Não responda. Acho que sei a resposta.

Semana Dois

Achando que eu deveria fazer algum esforço para manifestar o aparecimento do homem dos meus sonhos, decidi elaborar mais nas roupas do dia a dia. Num dia normal eu normalmente me produzo bem menos que para sair à noite, que é quando estou tentando transar. Minha roupa típica do dia a dia é legging ou jeans com uma camisetona. Quase nunca uso maquiagem, nem penteio o cabelo. Isso mudou essa semana.

Toda manhã dessa semana, pensei bem no que iria vestir. Passei um pouco de maquiagem, escovei o cabelo e quase só usei vestidos, encarnando a imagem mais clichê possível de feminilidade. Mudei minha rotina também, encontrando novos lugares para escrever e tomar café, além de novas lojas onde fazer as coisas.

“Esse é o meu mês de jejum de macho, e tenho que manter o foco.”

Bom, uma coisa aconteceu. Saí para tomar uns drinques com uma amiga e aconteceu de encontrar um amigo em comum. Ele é pai solteiro, mais velho que eu, bastante tatuado, mora sozinho e fede a indisponibilidade emocional. Depois de flertarmos por um tempo, estava bem claro que a gente queria transar — mas resisti a tentação sabendo muito bem que seria só sexo e nada mais. Em outro mês qualquer, isso não seria um problema para mim, mas esse é o meu mês de jejum de macho, e tenho que manter o foco.

Mas trocamos números. Secretamente eu esperava que a gente se envolvesse num flerte leve, que devo admitir que senti que era o que eu precisava para passar pelo resto do mês. Achei que se ele iniciasse a conversa, eu poderia só seguir a deixa.

Como já era previsível, ele nunca iniciou coisa nenhuma. Eu tenho que fazer todo o trabalho aqui?

Semana Três

Vou ser honesta aqui. Deixei a peteca cair essa semana. Bêbada, baixei o Tinder de novo e mandei mensagem para o skatista cujo número eu tinha deletado. Felizmente, tudo que consegui dizer naquele estado foi “ei”, mensagem que obviamente ele não respondeu por 12 horas. Não continuei a conversa e não iniciei nenhum outro papo com meus matches no Tinder. O jejum de macho ainda estava rolando.

Voltei para o visual mais largado, e percebi que me esforçar muito na minha aparência era uma forma de tentar muito fora do meu personagem.

Saí para beber de novo essa semana e fiquei surpresa em me ver paquerada outra vez. Dessa vez foi por um cara de 23 anos torcedor do Dodgers, que usava uma bandana e que conversou comigo sobre sua startup. Ele não chegava nem perto de ser o meu tipo. Normalmente, isso me faria terminar a conversa o mais rápido possível e dar a noite por encerrada. Mas pensando em todas as comédias românticas que assisti na vida, imaginei que isso poderia ser um daqueles cenários de “os opostos se atraem”, onde me torno a manic pixie dream girl que o apresenta para o mundo das artes e do punk rock, enquanto ele me ensina o valor de economizar e me importar com o meu futuro. Nada faz sentido no amor, e ainda assim… funciona.

“Caramba, eu realmente me esforço demais para trazer homens para a minha vida.”

Decidi seguir em frente e dar a ele meu número. Foi então que percebi que pode ter alguma coisa em não se esforçar muito nos encontros. Fui abordada duas vezes durante o experimento, o que não acontecia há algum tempo antes de eu começar meu jejum de macho.

O resto da semana passou. Ele nunca me mandou mensagem. Antes desse jejum, eu eventualmente teria mandado uma mensagem para ele. Mas propositalmente me impedir de fazer isso colocou minha vida amorosa em perspectiva. Caramba, eu realmente me esforço demais para trazer homens para a minha vida. Homens que provavelmente não estão interessados em mim. Pelo menos não o suficiente para realmente agirem.

Semana Quatro

OK, vou ser honesta. Transei com o pai solteiro. E fui eu. Eu fiz isso acontecer. Em minha defesa, eu não transava há vários meses, e o jejum de homem servia como um lembrete constante disso. Eu não tinha as distrações que normalmente tenho, como os aplicativos e flerte pela internet. Meus níveis de tesão estavam num pico, meu vibrador perdeu metade de sua potência original (esqueço de comprar pilhas) e eu só precisava de pinto mesmo.

Também pensei comigo mesma que talvez, só talvez, eu estivesse errada sobre a indisponibilidade emocional desse cara. Talvez isso pudesse realmente ser o começo de um relacionamento. Mas na noite em que ficamos, começamos a falar sobre exs e amores do passado. Ele mencionou uma mulher que o tinha largado recentemente, para quem ele voltaria na hora se ela mandasse mensagem. Então, sim. Eu estava certa no começo. Mas a transa pelo menos foi boa.

Concluindo: acho que tecnicamente esse jejum de homem não foi um sucesso (no sentido de que não consegui realmente me abster de homens), mas ainda tirei algumas lições de valor aqui.

Sei que devo continuar nesse caminho de não tentar tanto, mas ainda manter a conta no Tinder ativa, o que deixou meu humor melhor. Se alguma coisa acontecer, ótimo. Se não, tudo bem também. Por mais que eu queira ter um daqueles amores grudentos de filmes, não posso continuar tentando forçar isso com homens que não valem meu tempo ou minha atenção. Nenhuma de nós deveria.

Siga a Alison Stevenson no Twitter.

3 Perguntas sérias a serem feitas antes de voltar com seu ex

Após uma separação indesejada, a maioria das pessoas sente pontos de desespero imediatos para reatar o namoro e voltar com o ex. Esse sentimento desesperado e doloroso pode ir e vir, mas é um denominador comum em desgosto.

Uma vez que você está em luto e a separação causou uma dor horrível em primeiro lugar, parece que se seu relacionamento poderia voltar como se nada tivesse acontecido e isso acabaria com a dor.

Antes de começar a planejar algo do tipo, há três itens sérios que você precisa considerar.

É hora de pensar se voltar com seu ex é algo emocional momentaneo ou se é realmente crítico e você PRECISA dessa pessoa de volta à sua vida. A seguir estão as três questões mais importantes a serem feitas antes de tentar voltar com o ex.

1. Quais são as suas verdadeiras razões para querer voltar?

Defina todo o amor e a história de lado por um segundo. O que exatamente é sobre o seu ex que você quer de volta em sua vida? Diga que você acredita que você e seu ex são almas gêmeas. O que é sobre essa pessoa que faz você se sentir como insubstituível em sua vida?

Se você fosse bom um para o outro e a relação quebrou por circunstâncias ou distância, isso é mais fácil de reparar do que se você tiver problemas sérios com a incompatibilidade do núcleo. Se vocês dois estão bem juntos, mas desejam coisas diferentes – então pode ser hora de deixá-lo ir mesmo se você ainda o ama. Além disso, o que desencadeou seu desejo de recuperá-los? Obtendo-se acionado por suas postagens de mídia social com sua nova chama é muito diferente do que se você quisesse de volta o tempo todo.

2. Você estávam realmente bem juntos?

À luz do desonesto devastador, esta questão pode ser difícil de responder com honestidade. A maioria das pessoas olha para trás em seu passado com óculos cor de rosa. Especialmente com os exes. Pense nas suas lutas e desentendimentos com o seu ex. Eu não acredito em você. Se você nunca brigou ou discordou, um ou ambos não estavam sendo autênticos com seus sentimentos.

Pensando em voltar para a briga, como foi? Algum de vocês é vicioso com a outra pessoa? Foi algo abusiva? Que tal a frequência? Vocês dois brigam o tempo todo? Se você está tendo problemas para se lembrar sem a música de amor e a iluminação suave, pergunte ao seu melhor amigo por sua avaliação honesta.

3. O que você realmente quer que sua vida pareça?

Depois de parar de fazer planos para um futuro com outra pessoa, torna-se mais fácil pensar sobre o que você realmente pode querer para sua vida.

Muitas pessoas ficam presas em um lugar de não ter certeza de como seu futuro poderia parecer sem considerar os objetivos e sonhos de outra pessoa. Às vezes, os objetivos são contagiosos. Se você passou os últimos anos com alguém, é fácil pensar sobre o seu futuro compartilhado como uma possibilidade real. Quando você rompe, parece que o futuro foi descarrilado de alguma forma. Agora é a hora de pensar sobre o que você sempre quis criar para sua vida.

Sem pensar em seu ex, pense sobre as qualidades que você realmente quer em um parceiro. Esta é uma ótima coisa para um diário:
Como você quer que eles sejam?
Quais metas você deseja compartilhar?
Como você quer ser tratado em um relacionamento?

Examine suas respostas para todas essas questões. O seu ex tem essas qualidades? Como é que isso promete uma reunião? Lembre-se que, seja qual for o problema em seu relacionamento antes de terminar, continuará a ser um problema depois de voltar a compartilhar. Se você decidir voltar, você deve estar pronto para examinar todos os seus problemas com o seu ex para que seja possível avançar de maneira saudável.

Comprometa-se a não se conformar com o ciclo de maquiagem e ruptura. Não deixe sua vida coxear no suporte de vida, porque você não suporta a ideia de não estar com seu ex.

Se você for voltar , acredito que você tenha um tiro sólido em voltar a ficar juntos. Se não funcionar quando você tentar a segunda vez, é hora de deixar o relacionamento em busca de pastos mais verdes. Não fique preso durante anos indo para frente e para trás. Uma vez que alguém sai pela porta, pode ser mais difícil recuperar a confiança que você teve antes de terminar. Se alguém em seu relacionamento já teve problemas de abandono, isso é agravado pela dissolução e pode ser realmente difícil (mas não impossível de reparar).

Leve algum tempo para examinar seus sentimentos sobre essas questões antes de iniciar no modo de estratégia com o seu ex. Às vezes, o desejo de conseguir alguém de volta realmente passa, e você deve a ambos para realmente pensar antes de tentar obter o seu ex de volta.

A dura verdade  sobre “Relacionamentos casuais” e por que nunca mais caio nessa


Nunca pensei em fazer isso. Qual é o objetivo de ficar com alguém quando você sabe que não vai dar em nada? Por que perder o tempo desejando alguém que, francamente, não quer um relacionamento?

Mas, é claro, eu caí nessa – quem nunca?- e tentei ter encontros casuais. Eu tentei o meu mais difícil. De verdade!

Eu tentei seguir todas as regras que Cosmos me disse que eu deveria fazer. Eu tentei não responder a mensagem. Eu tentei não mandar mensagem bêbada. Eu tentei não encará-los na aula, imaginando-os finalmente me confessando seu amor. Eu tentei e fracassei pior do que minhas notas de física no ensino médio.

Eu gostaria de ser legal. Eu queria poder agir de forma “casual” naturalmente, e que eu não tivesse sentimento algum.

Mas por que diabos eu gostaria de ser um robô?

Então eu parei de seguir as regras. E eu decidi ser eu mesma. Eu disse ao menino da minha aula de inglês que achava que ele era fofo. Nós demos mãos em dezembro e nos beijamos sob o luar. Eu pensei em mim mesma, no seu rosto Cosmos, isso realmente está funcionando.

Eu estava errada.

O que você precisa saber sobre relacionamentos casuais é que você não pode forçar ninguém a sentir algo que eles não sentem. Você não pode forçar ninguém a um relacionamento quando eles claramente não querem estar em um.

Então, enquanto eu estava pensando em maneiras de conquistá-los e maneiras para eles me pedir novamente, eles estavam se mudando para outras pessoas. E enquanto eu estava sonhando acordado sobre beijar esses garotos de novo, eles provavelmente estavam levando outras garotas para casa com eles naquele segundo.

E não é culpa dele. Não é culpa dele ter caído por eles. Não é culpa dele que eu queria um relacionamento quando eles me disseram desde o início que eles não queriam nada sério. Acho que era ingenuidade pensar que eu poderia mudar eles de ideia. Eu ignorava e pensava que eu poderia ser a único a mudar magistralmente o curso do namoro “casual”.

Minhas mensagens de texto não os conquistaram. Minhas piadas não os fizeram mudar de ideia. E não importa o quão boa eu fosse, eles não iriam namorar comigo. E é preciso ser forte o suficiente para aceitar isso.

Eu acho que relacionamentos casuais podem funcionar para algumas pessoas. Algumas pessoas podem encontrar prazer e diversão. Mas, não é para mim. Eu me recuso a ser jogado para outras pessoas para ter seu bolo e comê-lo também. Eu me recuso a ficar à margem.

O sofrimento não valia a pena. O jogo de espera não valia a pena. Nada disso foi.

Então, da próxima vez que você estiver pensando em relacionamentos casuais, pense duas vezes. Não seja como eu e pense que você pode conquistá-los. Não pense que você possa mudar a mente de alguém quando eles lhe dizem o que eles querem desde o início.

Basta aprender a ir embora, se eles não vão te dar o que você precisa. E aprenda que nem todos neste mundo vão te amar.

E saiba que está tudo bem.

Traduzido: Thought Catalog

12 poemas que vão te ajudar a fazer as pazes com você mesma

1. Uma aprendizagem“, por Taís Bravo

O que você não sabe
uma arma
disponível

2. II“, por Brena O’Dwyer

é no equilíbrio frágil
de certos silêncios
que a gente vive

3. O mundo é dos poetas“, por Stéfane Pyaar

todo mundo
pede ajuda
o tempo todo.
alguns gritam,
outros choram baixinho.
e eu, bem, eu escrevo.

4. Tudo bem“, por Drica Serra

moça,
tudo bem ser indecisa
quanto ao sabor do sorvete,
a camiseta, a pizza, a faculdade.
mas jamais aceite viver com a dúvida
sobre o amor de alguém por você. não dá pra
amar escondido, o amor salta, se mostra,
derrama pra todos os lados. se você não
o vê, acredito, ele não existe.

5. Dez chamamentos ao amigo“, por Hilda Hislt

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.
E era como se a água
Desejasse

6. Asas“, Victor Érik

a duras
penas
criei
asas.

7. Mocidade Independente“, por Ana Cristina César

Pela primeira vez infringi a regra de ouro e voei pra cima sem medir mais as consequências. Por que recusamos ser proféticas? E que dialeto é esse para a pequena audiência de serão? Voei para cima: é agora, coração, no carro em fogo pelos ares, sem uma graça atravessando o Estado de São Paulo, de madrugada, por você, e furiosa: é agora, nesta contramão.

8. Futuro“, por Ita Portugal

Não posso desfazer a história
e tampouco apagar
os erros.
A única coisa
possível é continuar
apontando o lápis para
escrever o restante que
ainda falta.

9. Coragem“, por Drica Serra

às vezes desistir
de alguém é um sinal
de que a gente se ama tanto,
mas tanto, que não pode
ver nosso coração ser tão
machucado e não fazer
algo pra mudar isso

10. Bagunça“, por Ana Macarini

A vida é um eterno
quarto de bagunças
Sempre vai ter coisas
que você guarda
quando já deveria
ter jogado fora

11. Vento“, por Cora Coralina

Fechei os olhos e pedi um favor ao vento:
leve tudo que for desnecessário.
Ando cansada de bagagens pesadas.
daqui para frente apenas o que couber
no bolso e no coração.

12. Silêncio“, por Jey Leornado

O silêncio, às vezes,
explica tudo o que as
palavras nunca puderam
dizer. E ele também é
capaz de deixar tudo
ainda mais confuso
do que já está.

 

Repost – Buzzfeed

De repente, a vida vem e lança a semente do recomeço dentro da gente, e a gente percebe que não era para ser…

De repente, o coração acha que está tudo perdido, que não há cor nos dias, que o céu não possui mais nenhuma estrela por conta daquilo que ocultamos dentro de nós mesmos.

De repente, a gente acha que nunca mais vai conseguir viver momentos de felicidade e passa a se esconder da própria essência sem perspectiva de nada, imaginando coisas que não existem mais.De repente, é tudo de repente. A gente leva um susto, um baque e se desmancha por inteiro, achando que nunca mais vai se juntar de novo ou conseguir suturar aquela dor que provocou aquela ferida enorme na alma.Aí, de repente, a vida vem e lança a semente do recomeço dentro da gente e começamos a entender que o que não era para ser, não foi e o que é pra continuar é necessário para que a gente sobreviva ao caos do cotidiano e até de nós mesmos sentindo uma força interior que nos sustenta feito milagre que Deus enviou como forma de dizer: Chega, é hora de tomar um rumo e seguir com o que tenho em mente!

De repente, a gente percebe que não quer viver de sobras e de resquício de sentimento.

Que a gente merece aquele tanto de azul que desponta quando a gente cria coragem de se vestir de esperança levantando a bandeira da paz traduzindo no olhar aquilo que o agora já relevou, esqueceu e perdoou.De repente, os caminhos se mostram novos, frescos, mais brilhantes porque a gente quer que sejam assim e ninguém tem o direito de impedir nossos passos que, por vezes, estacionaram naquele canto sem luz e sem visão sem condições de seguir em frente.

De repente, a gente ganha um bônus extra de vigor, esperança, e percebe que precisa acenar e mandar notícias pra quem nos quer bem, sabendo que muita gente está ao nosso lado e que também sente conosco as coisas que atravessam nosso espírito.

De repente, é tudo muito confuso, dolorido, instável. De repente, a gente se assusta e corre com medo daquilo que parecia anormal, injusto e traiçoeiro.

Ai, a gente volta, volta mais devagar, mais assistido espiritualmente e pronto pra decolar para aquele voo que precisa nos direcionar, para que possamos acontecer.Somos continuidade, embora, muitas vezes, a gente pare, repense, isole-se, respire.
De repente tudo aquilo ficou para trás e o novo vem, e absorve aquilo que a gente merece com o consentimento da vida.E a gente decide viver por nós, pelo que buscamos e não pelo que os outros desejam..
Mas por amor-próprio, por querer cultivar cada minuto sem culpa, sem ter que dar satisfações ou, simplesmente, por mostrar a nós mesmos que, muitas vezes, envergamos, mas não entregamos o ouro aos bandidos.Aí, a gente percebe que algumas coisas o tempo leva. Outras, a gente pendura no varal da alma, admira e sente que o tempo é sempre conivente com o que a vida nos coloca à prova.

De repente, é só desfazer todo aquele emaranhado que incomoda e tecer novamente aquele novelo de sentimento bonito.

 

RepostO Segredo

Direitos autorais da imagem de capa – rh2010 / 123RF Imagens

Desapega do que não te faz bem

Desapega. Joga fora. Manda pro espaço. Deixa fluir. Joga na lixeira o que não te faz bem: os amores mal resolvidos, a mensagem não visualizada, os colegas que não querem te ver tão bem assim… vai desapegando aos poucos e deixa as coisas melhorarem conforme o tempo passa. Acredite: elas vão melhorar.

A sensação que nos toma quando o apego é forte, pode ser avassaladora. Pode tirar a paz, se manifestar como estresse e desencadear ondas de tristeza. E você precisa disso? Não, não precisa! Dá pra viver com sossego, daqueles bem merecidos.

Já jogou tudo que te faz mal na lixeira? Beleza. Você sabe que eles ainda estão rondando. Então, aproveite a faxina emocional para botar todo esse lixo pra fora, sem dó.

Exorcize esses encostos da sua vida. E não se culpe por nada. Você pode ter namorado o demônio e isso não significa que você é uma má pessoa também. Nem pense que você não é legal porque alguns dos seus amigos te abandonaram. Pense apenas que eles nunca foram seus amigos, e sim colegas.

Se tá difícil conseguir um emprego, não esquenta. Não tá fácil pra ninguém, meu bem. Se na faculdade tudo vai mal, saiba que se esforçando você chega lá (e depende só de você, encare isso de modo positivo). Aquele esquema parou de responder as mensagens? Vá fazer coisa melhor que esperar pelo outro – o mundo não para!

A vida é muito curta pra gastar o tempo com pequenos vícios. Sabe, aqueles pequenos vícios que nos deixam loucos de raiva e que não precisam de um gasto tão grande de energia. Com o tempo, esses grandes problemas são apagados do tempo, parece até que ficam empoeirados em alguma prateleira inalcançável.

É difícil dizer “Xô, problema. Sai da minha vida. Vaza. Chispa.”. É mais difícil ainda colocar isso em prática. Você precisa saber pra onde quer ir. Precisa se questionar mais. Sobre a vida, trabalho, família, estudo, relacionamentos. É preciso traçar um objetivo e tentar chegar lá, dar o sangue para chegar aos resultados.

Então, depois que botar o lixo pra fora, faça uma lista do que te faz bem.

Liste tudo. Aquela música do Chet Faker. Aquele episódio do seu seriado favorito. Até música brega vale: de Rosana (Como uma Deusa) até Odair José.

Coloque, também, todas as pessoas que fazem o seu dia valer a pena – e agradeça. Não se esqueça das pequenas coisas: da brisa no seu rosto quando volta pra casa, da simpatia do vizinho de cima, do seu cantinho, do sabor do café, do pôr-do-sol.

Liste suas cores preferidas, não precisa ser uma só. Agradeça, mentalmente, as pessoas que te provaram que a vida não é um mar de rosas. Coloque na lista a lasanha que só sua avó sabe fazer.

Liste suas fantasias sexuais preferidas. Se solte.

Uma lista de gratidão pode te dar mais ânimo para esquecer de vez a parte ruim.Não negue seus sentimentos. Separe as coisas entre as que te fazem bem e as que fazem mal. E não tenha nenhum problema em desapegar do que te tira o sono.

Depois de desapegar você vai acabar se sentindo mais leve e, consequentemente, mais feliz.

 

Repost: Te escrevi – Ju Umbelino.

52 Semanas de Autoconhecimento – Semana 6

Olá, hoje seguindo o 52 Semanas para o Autoconhecimento, irei responder a seguinte questão:

Verdadeiro ou Falso: “Eu sei como ficar comigo mesmo.” Explique sua resposta.

Houve um tempo em que eu diria falso para essa afirmação, afinal ficar sozinha era algo muito dificil. Hoje em dia, vejo que é a melhor coisa, ter alguém seja em um relacionamento ou até mesmo para passar umas horas ao lado, é muito bom. Mas quando você ainda não sabe o que quer, tem dúvidas de pra onde deveria ir ou o que deveria fazer por si, ficar sozinha é a melhor escolha.

Hoje sei o quão abençoada sou por estar só, tudo bem que o Dia dos Namorados é uma bosta. Mas ainda assim, eu posso ver a série que eu quero, ir para a balada que eu quiser, se ficar com vontade beijo também. Se não tiver afim, posso dormir e ter um dia preguiça. Posso ser egoísta, pensar em mim e fazer o que eu quiser apenas porque eu quero.

Claro que ter uma companhia para ir ao cinema ou em um show é legal, mas porque nao aproveitar esses locais com minha própria companhia? Então hoje digo: Verdadeiro. Eu sei como ficar comigo mesma. E quero aproveitar essa minha nova empreitada assim, para definir bem o que e quem eu quero na minha vida.