15 músicas da Beyoncé que fazem você entender o que é feminismo

Repost – Beyoncé Now

O feminismo é um movimento que a cada dia que passa, ganha mais força (e isso é ótimo!). O grande problema é que muita gente ainda confunde o conceito dessa luta tão importante. Por isso, separamos algumas músicas que vão fazer você – fã de Beyoncé ou não – entender o que é o feminismo.

1- ‘Run The World (Girls)’

Para você começar entendendo, vamos com um hino que passa uma versão bem clara do movimento. Com versos poderosos como: “Quem manda no mundo? Garotas!” “Fortes o bastante para criar as crianças, e ainda voltar aos negócios.” demonstram a garra da mulher em conseguir fazer tudo ao mesmo tempo e ainda ser bem sucedida profissionalmente. Quando a cantora apresentou a música do ‘4’ pela primeira vez na televisão, ela fez um discurso que convidava as mulheres para uma revolução: “Os homens tiveram a chance de dominar o mundo. Mas mulheres, nossa revolução começou. Vamos construir uma nação, mulheres de todos os lugares. Dominamos no mundo!” Diferente do que alguns pensam, o feminismo não é rebaixar os homens (um machismo reverso). O feminismo é abrir a possibilidade para a mulher chegar nos cargos mais altos também.

2- ‘***FLAWLESS’

***FLAWLESS é provavelmente o hino feminista mais importante da carreira da cantora até hoje. A música do álbum ‘BEYONCÉ’ inclui falas da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie que definem o feminismo de forma clara e concisa. “Feminista: uma pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos”. É nesta música que Beyoncé mostra que qualquer um pode ser feminista, inclusive homens. Para isso, basta você acreditar que todos devem ter os direitos iguais. Beyoncé foi criticada algumas vezes por tornar o feminismo em um discurso ‘pop’ disseminado de forma superficial. O que muita gente não compreende é que quanto mais pessoas falarem sobre o movimento, mais pessoas podem ter acesso à informação e aderir. O que não pode é você, homem, querer roubar o protagonismo das mulheres no movimento, ok?

3- ‘Independent Woman’

Lançada em 2000, pelas Destiny’s Child, este hino traz uma mensagem poderosa que convida todas as mulheres que são independentes a se unirem. “Esses sapatos que estão no meu pé, eu que comprei.” “A casa que eu moro, eu que comprei.” “O carro que eu estou dirigindo, eu que comprei.” “Porque eu dependo de mim mesma, se eu quiser.”Beyoncé mostra que é feminista, independente e poderosa antes mesmo do feminismo dominar as redes sociais.

4- ‘Bootylicious’

Em 2001, as Destiny’s Child colocaram a palavra ‘bootylicious’ no dicionário americano. A música do álbum ‘Survivor’ dá um “chega pra lá” nos homens dizendo: “Eu não acho que você está pronto para isso. Porque meu corpo é gostoso demais para você, amor”. No DVD ‘I Am… Yours’, Beyoncé conta que na época havia ganhado alguns quilinhos a mais e a mídia começou a comentar sobre isso. Ainda sim, ela não se importou sobre a situação porque de acordo com ela: “Não importa o que eles diziam sobre mim, eu me sentia gostosa. Você não acredita em mim? Então procure (bootylicious) em um dicionário”.

5- ‘Me, Myself and I’

Lançada como single do álbum ‘Dangerously In Love’, ‘Me, Myself & I’ é um hino de autoafirmação. Após o fim do relacionamento, Beyoncé canta que só tem a si mesma mas que prefere estar sozinha que em relacionamento abusivo. “Eu, eu mesma e eu, foi tudo que eu tive no fim.” “E não é preciso chorar.” “Eu serei minha melhor amiga”.

6- ‘Girl’

‘Girl’ foi lançada no último álbum das DCs, Destiny Fulfilled. Além de enaltecer a amizade entre as mulheres, ela dá um recadinho a sua melhor amiga, Kelly Rowland. Durante o clipe, Beyoncé e Michelle Williams pedem para Kelly desabafar sobre seu relacionamento que está indo de mal a pior. A letra é muito forte e o final do clipe é épico. “Pega um minuto, senta e conta para nós o que vem acontecendo, na sua cara conseguimos ver a dor, não adianta fingir que está feliz.””Eu sou sua miga, você é minha miga, nós somos MIGAS!!!”, elas cantam de mãos dadas.

7- ‘If I Were A Boy’

O hit de 2008 mostra o quanto é mais fácil ser homem no mundo. Durante o clipe, ela inverte os papéis com o namorado e mostra como a sociedade pode ser machista por deixar o homem fazer o que quiser, enquanto a mulher não. Na letra da música, ela fala o que faria de diferente caso fosse um homem. “Mas você é apenas um garoto, você não entende.” Não, os homens não entendem.

8- ‘Irreplaceable’

Marcando a geração de 2006, após o fim de um relacionamento, ela toma as rédeas da situação. “Tudo que te pertence está na caixa a esquerda.” Ou seja: “mete o pé, pega essa a caixa com as suas coisas, porque todo o resto é meu. E se você por um acaso pensa que é insubstituível, fique sabendo que posso ter outro de você em um minuto”.

9- ‘Ring The Alarm’

O álbum B’Day (2006) pode ser considerado um dos trabalhos com mais hinos feministas da cantora. ‘Ring The Alarm’ ganha destaque pela sua agressividade. “Eu aguentei isso por muito tempo. Mas eu vou ficar puta se te ver com outra garota”. Essa música é importante para empoderar mulheres e para que assim elas tenham forças para bater de frente, caso seja necessário. Afinal, ninguém é obrigado, não é mesmo?

10- ‘Freakum Dress’

Hora de colocar aquele vestido babadeiro e sair para bater perna. “Acho que estou pronta. Fiquei trancada em casa por muito tempo. É hora de mudar!” Então, meninas, coloquem seus melhores vestidos e mostrem quem manda! Mesmo que você esteja em um relacionamento, Beyoncé, manda as mulheres colocarem aquela roupa especial, porque toda mulher deve se sentir sempre especial e bela.

11- ‘Best Thing I Never Had’

Essa Beyoncé manda cantar para os exs. “Tudo que vai, volta.” “Graças a deus, eu saí dessa.” “Aposto que deve ser uma bosta ser você agora.” “Você não merece minhas lágrimas.” Esses são apenas alguns dos versos que formam essa letra que é um tiro direto no coração do ex.

12- ‘Grown Woman’

“Eu sou uma mulher crescida, e eu posso fazer tudo o que eu quiser.” ‘Grown Woman’ (2014) também é um dos maiores hinos de empoderamento feminino da cantora.


13- ‘Ring Off’

Beyoncé – Ring Off – Legendado from Leandro Neves on Vimeo.

Essa música é conhecida por poucos pois foi lançada na versão platinum do ‘BEYONCÉ’, em 2014. A música de Beyoncé é uma homenagem a sua mãe, Tina. Beyoncé conta o quanto está feliz por ver que sua mãe tomou a atitude de finalmente tirar a aliança, acabar com o casamento com Matthew Knowles e recomeçar a sua vida. Além disso, ela cita e sensualidade e a beleza de sua mãe. Tina casou-se de novo em 2014 e mudou seu sobrenome de ‘Knowles’ para ‘Lawson’.

14- ‘Formation’

“Ok, meninas, vamos entrar em formação!” ‘Formation’ lançada neste ano exala empoderamento feminino negro. “Eu provavelmente sou a versão negra do Bill Gates sendo feita.” O single foi apenas uma preparação para o tiroteio do que estava por vir, o 15º item.

15- ‘LEMONADE’

O último item teve que ser um álbum inteiro por diversas razões. Para começo de conversa, o álbum é conciso e completo como um só. É difícil você ouvir apenas uma ou outra música. Ele foi criado pela cantora para você ouvi-lo, ou melhor, assisti-lo por inteiro. Prova disso é que ela lançou o álbum em forma de filme. Podemos destacar hinos como: ‘Don’t Hurt Yourself’, ‘Sorry’, ‘6 Inch’, ‘Daddy Lessons’ e ‘Freedom’.

Ou seja:

– FEMINISMO NÃO É O CONTRÁRIO DE MACHISMO.
– Feminismo é bom para todo mundo.
– Homem pode deve ser feminista.
– Homem não pode roubar o protagonismo da mulher no movimento.
– A mulher pode ser sensual, não importa a idade, cor ou classe social. Basta se sentir linda e acreditar na sua autoestima.
– Feminista não odeia homem, apenas odeia machismo.
– A mulher pode usar a roupa que quiser, desde que se sinta bem com isso.
– Mulher nenhuma merece sofrer assédio.
– Mulher não pede para ser assediada, independente da roupa ou atitude.

Entenderam agora?

Ok ladies, now let’s get (in)formation…

beyonce-3

Lemonade
De Beyoncé
Lançamento, Pop, 12 faixas + Lemonade Film
Disponível na plataforma Tidal (assinatura mensal R$ 14,90) e no iTunes (US$ 17,99)

Beyoncé, mais conhecida como Beysus, lançou de surpresa seu mais novo álbum Lemonade.

E se não bastasse pegar todos assim de supetão, ela em menos de UMA SEMANA emplacou o primeiro lugar na lista dos mais vendidos da loja virtual da Apple em mais de 80 países. EXATO, 80 países.

Como sou devota de Beysus, aqui estou eu para descrever todo meu amor ao assistir Lemonade. Vou tentar tirar de dentro de mim tudo o que senti ao assistir e ouvir o Álbum -visual e descrever para vocês, mas antes…

Vou postar apenas uma reação de um desconhecido que no momento falará por mim:

1
Lemonade, já tiveram centenas da posts sobre esta obra de arte, mas eu não vou deixar passar, cada música, cada clipe. Capa visual da Bey, OMG, tá muito bom

Vamos por partes:

Lançado no último dia 23, Lemonade e é o sexto álbum da Diva Master. Brilhante, o vídeo teve como Intuition uma perfeita forma de começar o álbum. Adorei as representações da mulher negra, adorei Beyoncé usando vários cabelos afros com muita trança, um arraso no look, no cabelo, na música MEU DEUS essa mulher é foda demais mesmo. Como ela canta bem natural e romanticamente, quebrando tudo.

19188866

 

A música Sandcastles? Beyoncé, pelada, sem make, sem alter ego, nada… mostrando tudo de si, essa é a Beyoncé que eu adoro, não a superstar, mas a humana a que mostra como é, a mulher traída e que não tem vergonha de assumir seus problemas, que cresce com eles.

giphy (8).gif

E seu jeito todo MOTHERFUKER de dizer que foi traída e que sofreu sim, mas agora não sofre mais, sempre houveram burburinhos sobre uma possível traição, mas “people talk” seja sobre o que for, sempre falam e falam muito, como sou adoradora de Bey, nunca duvidei dela e nem acreditei em fofocas, sempre achei que ela saberia a forma certa de falar. E aí está, brilhantemente feito Lemonade me encantou e tenho certeza que encantará muita gente. Não tenho mais o que falar, apenas que sem dúvida alguma Bey se superou e esse foi seu melhor álbum.

Para finalizar, já que não sou nenhuma crítica musical, li essa matéria e achei simplesmente completa. Não vou colocá-la na íntegra, apenas uma parte importante e bem educativa sobre a obra de arte Lemonade.

“É uma obra que traça uma história de adultério, decepção, zanga e reconciliação, misturando uma história individual (a de Beyonce? Ou a de qualquer ser humano na procura da transcendência e do conhecimento?) com a das mulheres negras nos Estados Unidos de diferentes gerações. Uma história de sobreviventes, mas também de quem não desiste de celebrar a vida.

O filme está estruturado a partir de excertos de poemas de Warsan Shire, ditos por Beyoncé, criando um ambiente etéreo e sulista, mas também simbólico e incendiário, dualidade de amor e ódio, fazendo recordar algumas obras de Terrence Malick.

Começa com Beyoncé a questionar a sua relação. “Are you cheating on me?”, interpela. Quando a infidelidade se torna evidente, protesta: “They don’t love you like i love you”, canta em Hold up, num refrão que alude à canção Maps dos Yeah Yeah Yeahs, seguindo-se a zanga: “i’m gonna fuck me up a bitch”, canta, de taco de basebol na mão, descarregando a fúria em tudo o que lhe aparece à frente. Mais tarde dirá: “You ain’t married to an average bitch, boy!”, enquanto em Don’t hurt yourself, com Jack White, canta de forma distorcida, como a própria música: “This is your final warning / you know i give you life / If you try this shit again / You gon lose your wife.”

A canção 6 inch (com The Weeknd) é a primeira do álbum que não é directamente sobre a infidelidade, mas sobre como deter o controlo sobre a sua existência, a identidade, o negócio. E depois existe Daddy lessons, que marca uma viragem na obra, com um som pop de fanfarra a preparar o ouvinte para uma segunda parte marcada pelo perdão, pela recuperação e pela esperança.

A digressão emocional individual mistura-se com a experiência das mulheres negras americanas. Há mesmo um excerto de um discurso de Malcolm X (“The most disrespected person in America is the black woman. The most unprotected person in America is the black woman. The most neglected person in America is the black woman.”) e ao longo do filme grupos de mulheres negras vão aparecendo, como se fossem uma frente unida de solidariedade.”

Uma inesquecível obra-testamento de Beyoncé

E se quiser ver Lemonade…