Crítica “13 Reasons Why ” (contêm spoilers)

Assisti ao trailer da nova série da Netflix 13 Reasons Why e fiquei super ansiosa para ver. Então, fiz uma maratona neste sábado, só para falar a vocês o que achei da história.

A série é baseada no clássico romance de Jay Asher, que conta a história Clay Jensen, um tímido estudante do ensino médio, volta para casa da escola um dia e encontra um pacote enviado anonimamente, em sua porta. Após a abertura, ele descobre que são sete fitas cassete gravada pela falecida Hannah Baker, sua colega que recentemente cometeu suicídio.  Nas fitas, Hannah explica á treze pessoas como eles desempenharam um papel na sua morte, apresentando treze razões que explicam porque ela se matou.

Desde o inicio é incrível como o enredo nos prende, nem acreditei que havia chegado ao fim, quando cheguei. E posso dizer que fiquei por todo esse tempo esperando que Hannah não estivesse morta, foram tantos mal entendidos, mentiras e fofocas que achei que não era possível que isso realmente fosse acontecer, mas é sempre assim. Não é? A vida real não tem final feliz.

A série é intensa, traz sexo, drogas, estupro, etc. Nos faz ver os dois lados da história, como o bullying afetou Hannah e como os agressores foram afetados. Mais do que isso, mostra como o relacionamento entre pais e filhos afetam nas nossas escolhas. Existem alguns pontos que eu gostaria de abordar, mas se você ainda não viu a série e quer evitar spoilers, não leia o paragrafo a seguir.

Primeiramente vou falar um pouco sobre cada um dos treze porquês de Hannah ter se matado.

  1. Justin Foley, deu o ponta pé oficial na depressão de Hannah ao tirar a foto e dar a entender que houve algo a mais, por mais que não tenha espalhado o boato ele não fez nada para impedir, mesmo sabendo o quanto Hannah era uma garota legal. Na minha opinião, tem culpa.
  2. Alex Standall, deu brecha para iniciar um grande assédio sexual para cima de Hannah, mas ao mesmo tempo, quantos de nós nunca falamos o que um ou outro tem de bom ou ruim em cada na adolescência? Eu acho que ele teve culpa em envolver Hannah em algo que ela não tinha nada a ver, mas a escola foi a culpada por deixar aquilo se espalhar. perpetuando assim a reputação de promiscuidade dela.
  3.  Jessica Davis, diria sua ex-melhor amiga, foi totalmente ridícula em não acreditar na amiga e ainda se envolver com Justin. No fim ela estava tão perdida quanto os outros, pois havia sido vítima e nem sabia.
  4. Tyler Down,  fez com que Hannah se sentisse mais insegura ainda e contribuiu para que mais um boato fosse espalhado pela escola, talvez por sofrer bulliyng ele não tenha tanto poder, mas ele tinha provas de tudo e poderia ter acabado com aquilo há muito tempo.
  5. Courtney Crimsen, de todos os envolvidos, acho que é o que eu mais entendo, imagino a vida que ela teve, exatamente pelo mundo ser como é.  Apesar de ser  manipuladora e usar as pessoas para a sua popularidade. Eu imagino a pressão que ela deve sentir dos pais e da sociedade, afinal se ela se assumir gay será mais um índice para todos dizerem que casais gays não podem adotar. Claro não retiro a culpa dela, pois ela poderia ter evitado a morte de Hannah , sem contar que um beijo não diz nada. Sei lá que adolescentes mais bregas são esses?
  6. Marcus Cooley, um babaca, simplesmente isso. Um cara escroto que simplesmente fez o que fez porque quis e nem mesmo depois sentiu remorso.
  7. Zach Dempsey,  após ser rejeitado muitos de nós pode pensar em querer ferrar com o outro, mas Zach poderia ter feito algo mais, se imposto, entendo que essa fase não é fácil para se impor e ser quem quiser ser, mas ele poderia ter feito algo.
  8. Ryan Shaver, acredito que vazar o poema realmente seria algo bom para Hannah, ela com certeza se tivesse conseguido seguir em frente teria visto aquilo como um rompimento da zona de conforto e se dedicaria mais a escrita. No entanto Ryan fez isso por puro egoismo e nem mesmo pensou no que ela poderia sentir.
  9. Justin Foley (mais uma vez), é mais do que certo que Justin é parcialmente responsável pelo estupro de Jessica. Mas Hannah também poderia ter feito algo, a questão é será que alguém a ouviria?
  10. Sheri, estava dando uma carona para casa de Hannah da festa onde Jessica foi violentada, quando ela bateu o carro e derrubou um sinal de “pare”. Mais tarde naquela noite, um idoso foi ferido e um estudante de sua escola foi morto em um acidente causado pela falta do sinal. Um erro pequeno, grandes consequências.
  11.  Clay Jensen, o cara certo. Clay não era para estar na lista, mas ela mandou as fitas porque lamentou nunca ter a oportunidade de conhecê-lo melhor. Além disso, ela sente que lhe deve uma explicação para seu comportamento. Acho que Clay é tão culpado quanto Hannah nesse jogo, em uma série que aborda o feminismo em várias formas, acho estranho ela nunca ter tentado falar com Clay o que sentia, afinal não cabe somente ao homem dar o primeiro passo.
  12. Bryce Walker,  o MAIOR CULPADO DE TODOS, abusou sexualmente de Jessica e Hannah, sem contar outras meninas que provavelmente ele também deve ter abusado. Mesmo Hannah admitindo que ela não tentou o impedir, acho que já sabemos que é preciso ter um consentimento sólido para um ato sexual acontecer e é visível que Bryce  se aproveitou dos boatos que se espalharam na escola.
  13. Sr. Porter, talvez o segundo maior responsável pela morte de Hannah, mas eu imagino a vida desse conselheiro que atende centenas de alunos e precisa dar a atenção correta a cada um deles e reponde por isso, o conselho da escola que deveria ajudá-lo esconde coisas assim como todo adolescente.

Todo o enredo mostra uma posição complicada para os envolvidos entre adolescentes sem autoestima, agressores, professores e pais. Acho que a maior responsabilidade é dos pais e é possível ver a mudança de Hannah com a família ao longo dos episódios, não tem como dizer que não havia indícios e pior a situação dos pais, depois da morte de não saberem o que a levou a fazer isso só mostra o quanto eles estavam mais afastados da filha do que imaginavam.

Por fim, quero dizer que eu entendo Hannah, há momentos na vida de quem sofre com depressão que acabar com a vida parece a melhor opção. Não encontramos saídas e nos vemos como o maior problema na vida de quem amamos, recentemente eu mesma pensei em fazer algo assim, na verdade eu não teria coragem de me matar, mas tinha vontade de morrer. São situações parecidas, mas não semelhantes. Ao assistir a cena de suicídio de Hannah eu me imaginei naquela situação. Depois de passar por tantos problemas e se sentir tão sozinha e abandonada ter aquele tempo, aquele intervalo entre cortar os pulsos e morrer definitivamente, seja a pior das solidões encaradas.

Essa série mexeu comigo de uma forma bem complicada, me vi na pele da Hannah, não por sofrer bullying mas por sofrer com a depressão e chegar a pensar que meu único fim era esse. Se você também se sente ou sentiu assim, procure ajuda, seja com quem for, não deixe de tentar continuar vivendo.

A Bela e a Fera (2017) -Crítica (suspeita) de uma fã

Finalmente assisti. Graças ao bom Deus, ontem depois de ir em dois shoppings e tentar três sessões que haviam se esgotado eu, finalmente, consegui assisti o MA-RA-VI-LHO-SO A Bela e a Fera. Estava super ansiosa, como disse aqui, principalmente pelo fato de ter ouvido inúmeras criticas positivas e também por vários críticos falarem que era exatamente igual a animação de 1991.

20170313-bela-e-a-fera-2017.jpg

Depois de muita ansiedade, venho aqui dizer o quanto esse filme é lindo e vale a pena. Vocês sabem que eu amo filmes de muitos gêneros, em especial os de TERROR, mas o preço dos ingressos do cinema estão um absurdo. Então normalmente espero para assistir os meu filmes quando lançam nos canais da TV a cabo. Mas, alguns filmes valem a pena, por exemplo gasto muito dinheiro assistindo os filmes de Terror. Mas, dessa vez a minha infância falou mais alto, aproveitei a companhia e fui logo assistir o mais belo filme da Disney de todos os tempos, na minha opinião é claro.

O live-action do clássico ficou como o desenho, algumas pequenas alterações foram feitas, mas que esclarecem alguns pontos essenciais para entender melhor o porquê de cada personagem, ser como é. Por exemplo, (SPOILER) o fato da Bela não ter memórias da mãe, pois a mesma morreu devido a Peste. Já em relação a Fera (que eu acho deveriam ter revelado um nome)  é revelado o motivo dele ser um príncipe “mal, egoísta e grosseiro” como citado no inicio do filme.

images.jpg

O que eu mais gostei foi da apresentação dos personagens, da introdução diferenciada do filme e da REPRESENTATIVIDADE. Imaginem só, quando a animação foi lançada eu tinha 2 anos de idade e se tornou um dos meus filmes preferidos até os dias atuais. E todo este tempo, nunca havia visto uma história com tantos negros, afinal é uma “região” onde os brancos dominavam. No remake existem tantos negros que não estão papéis ruins, sabe? Pessoas boas que fazem e querem o bem, que me senti muito bem representada. Vou até falar aqui que não imaginava que iriamos ter casais inter-raciais. Realmente eu me emocionei, pois não esperava por isso.

1280_beauty_and_the_beast_poster_gugu_mbatha_audra_macdonald.jpg

Outra coisa que eu já sabia, mas estava em dúvida como seria é a questão da homossexualidade sendo tratada em um filme tão clássico. Vi muitos falando sobre o assunto, mas esperei assistir o filme para dar minha opinião, eu – Ah Loka!- pensei que haveria um beijo gay e não apenas um personagem. De qualquer forma, vou explicar. Lefou, interpretado por Josh Gad (que por sinal ficou incrível), é um cara que está, não digo em dúvida sobre a sexualidade, mas em dúvida sobre seus sentimentos pelo amigo Gaston. Percebi que ele se importava demais com Gaston, a ponto de aceitar algumas coisas erradas em prol da felicidade do amigo. No entanto, conforme a trama vai indo e Gaston vai “enlouquecendo” por causa da rejeição de Bela, Lefou acaba visualizando a verdadeira face do amigo e até muda de lado. O personagem em si, é bem caricata e cheio de trejeitos, no entanto, por ser um filme infantil eu achei a abordagem perfeita. Poderia ter um beijo gay? Poderia, mas talvez fosse dar mais bafafá ainda. O que não é necessário no momento.

De maneira geral, posso dizer que esse filme é 10, ficou PERFEITO. E vale super a pena assistir, se ainda está em dúvida veja o trailer:

Antes de ir quero dizer que a trilha sonora é a mesma e eu fiquei que nem louca cantando no cinema.

Invasão Zumbi – Meu mais novo favorito filme de Zumbis

Zumbis estão na moda e já faz alguns anos. The Walking Dead, Zumbilândia, Meu Namorado é um Zumbi e outros filmes e séries tem provado que há sempre como fazer algo diferentes com zumbis.Hoje vou falar sobre o último filme que assisti, talvez o melhor nesse estilo, o Invasão Zumbi (2016).

Esse filme me surpreendeu e muito, não imaginava que os coreanos eram tão bons em filmes de terror. Confesso que quando assisti Seoul Station,do mesmo diretor Yeon Sang-ho,  apesar de ter gostado, não se tornou meu favorito, na verdade até cochilei um pouco. Mas Invasão zumbi, é um filme tão tenso que posso  dizer que é o meu favorito. Existem alguns detalhes que eu tiraria, tipo a tentativa de fazer uma avalanche de zumbi estilo Guerra Mundial Z, ou alguns efeitos toscos. Mas de forma geral esse filme foi ficando tão tenso a medida que a historia ia acontecendo que é impossível não se concentrar.

Antes de falar mais, veja o trailer:

 

Sinopse:
Em um trem de alta velocidade com destino à cidade de Busan, na Coréia do Sul, um vírus misterioso que transforma as pessoas em zumbis acaba se espalhando de maneira devastadora. A cidade de destino da locomotiva conseguiu com sucesso se defender da epidemia, mas até chegar lá eles deverão lutar pelas suas sobrevivências.

Como viram, o trailer é bem tenso. De forma geral é mais uma obra de zumbis, com contaminação rápida, aspecto apocalíptico e poucos sobreviventes. O engraçado é a cultura coreana que mesmo sendo muito mais empática que a do brasileiro, o que floresceu, em um momento de sobrevivência, foi o egoismo. E é exatamente assim, que esse filme se tornou um dos meus favoritos, ver a verdadeira face das pessoas. Adoro fazer umas análises do tipo: O ser humano é animal, vive de instintos e quando está em perigo mostra isso.

No fundo eu adoraria que todos as pessoas agissem de forma correta, mas sabemos que não é assim. E nesse filme, até o final vemos que o problema não é a infecção mas sim a ignorância e a falta de empatia. Porque por muitas vezes tudo poderia ter sido evitado. Também existem pessoas dando suas vidas em troca de outras mas a arrogância predomina.

Eu que, particularmente, adoro zumbis sei o quanto é clichê esses tipos de personagens, Mas esse cara, superou todos os vilões possíveis de outros filmes. E sem dúvida é o mais FDP de todos. Acho que mais que o Negan e olha que ele matou o Glenn.

Enfim, não vou falar mais, porque senão vou contar a história. Então assista e venha aqui dizer o que achou.