Malhação, Viva a Diferença – Um novo olhar sobre os adolescentes brasileiros

Pessoal, na última sexta-feira eu estava de boas em casa assistindo a Mª do Carmo e a Nazaré “divando” e acabei vendo, sem querer, o especial da nova temporada de Malhação. Confesso que fiquei muito animada com a nova temporada e com todas as mudanças. E nessa semana, perdi o piloto, mas acompanhei ontem e hoje e vim aqui falar sobre como essa temporada de Malhação sem dúvida será a melhor em muitos anos.

Antes de mais nada vou falar que não assisto Malhação há muito tempo. Na verdade, desde o Gigabyte e o Cabeção eu não fazia ideia do que era essa mini-novela adolescente. Lembrar de casais como Tati e Rodrigo, Nanda e Gui, Bernardo e Betina, Leticia, Gustavo e a Vagabanda. Enfim, foram muitos casais no Múltipla Escolha e me lembro de na época me sentir sim muito “feliz” assistindo casais nada reais, fazendo coisas nada reais.  Claro que o conhecimento que eu tinha de mundo na época era minusculo comparado ao que eu tenho hoje. E o fato de termos sempre uma novela sem representatividade não fazia diferença, afinal essa não era a ideia e todas as novelas eram assim.

De um tempo pra cá muita coisa mudou, eu que assisto menos TV aberta e mais séries sei que muitos assuntos tabus são abordados de maneira comum em diversas produções, mas, na globo, eu nunca tinha visto algo assim. Claro que a Globo ganhou prêmios sobre a diversificação e aprimoramento de suas obras, mas eu não assisto então não posso falar. Mas essa Malhação me surpreendeu e muito.

Há 22 anos no ar, Malhação já teve, entre seus cenários principais, uma academia de ginástica e um colégio. E dessa vez, pela primeira vez na história de Malhação, a série terá São Paulo como palco da história e ao invés de um casal clichê, tem a amizade entre cinco garotas.  Empoderamento? Feminismo? Veja o que o autor explicou: “A ideia de falar sobre meninas era a vontade de enxergar o mundo pelo olhar feminino. E acho que coincide muito com a importância de pensarmos sobre o papel e o respeito à mulher”.

m5.jpg

Ao falar da cidade de São Paulo o diretor Paulo Silvestrini disse: “São Paulo é uma cidade muito diversa e heterogênea e a gente vê essa pluralidade ocupar os mesmos ambientes. Esses diversos universos interagem, conversam, dialogam, e aqui, no Ibirapuera, vemos um exemplo disso”.

Por falar em diretor, que tal saber que quem está assinando a obra é ninguém menos que Cao Hamburger, o autor de sucessos como Castelo Rá-Tim-Bum, Pedro e Bianca e Filhos do Carnaval. Ele já nos conquistou na infância porque não iria agora? Além disso esta é a primeira vez que Cao assina uma obra aberta e diária.

As garotas protagonistas também são muito cativantes Lica (Manoela Aliperti), rica e de estilo alternativo, Ellen (Heslaine Vieira), uma hacker da periferia, Tina (Ana Hikari), uma rebelde artista sansei, Benê (Daphne Bozaski), uma menina tímida que quer muito ter amigas e Keyla (Gabi Medvedovski), uma mãe adolescente. Por mais clichê que alguns dos personagens, ou seus problemas sejam, acredito que o diferencial aí é a forma que isso será abordado. Aliás, eu particularmente acho que adolescentes seja bem assim mesmo, diferentes mas iguais. Risos, tipo mãe, tudo igual só muda o endereço.

Porque eu gostei dessa temporada, tendo assistido apenas dois episódios?

Além de tudo que eu já falei, a série abordou de cara coisas muito legais como a privilégio branco, o preconceito, o racismo o que deixou as personagens mais reais, afinal o jovem de hoje é crítico e não aceita qualquer coisa. Ele briga e quer que seus direitos sejam garantidos.

Aliás, a trilha sonora é incrível na abertura tem Karol Conká cantando a diferença através de uma letra forte e uma batida contagiante, adaptada para a novela. Além disso a trilha conta com  Mallu Magalhães, Emicida, MC Guimê, Hungria, Ed Sheeran, The Cure etc.

Confira o elenco e equipe de Malhação – Viva a Diferença declamando o tema de abertura, a música “Bate a Poeira”, da Karol Conka

Confira a lista completa de músicas:

Ai Ai
Autor: Teago Oliveira e Rodrigo Damati
Intérprete: Maglore

Ai Ai Como Eu Me Iludo
Autor: Martim Bernardes
Intérprete: O Terno

Casa Pronta
Autor: Mallu Magalhães
Intérprete: Mallu Magalhães

Casinha Branca
Autores: Gilson Vieira da Silva e Joran Ferreira da Silva
Intérprete: Roberta Campos

Eu Gosto Dela
Autor: Emicida
Intérprete: Emicida

Fato Raro
Autor: Diego Cunha Silveira, DJ Dash e Guilherme Aparecido
Intérprete: MC Guimê

Fly
Autor: Eric Silver
Intérprete: Eric Silver

Lembranças
Autor: Hungria Hip Hop
Intérprete: Hungria

My Own Deceiver
Autores: Raphael Miranda, Jean Dolabella, Theo Van Der Loo, Jonathan Correa, Niper Boaventura
Intérprete: Ego Kill Talent

Seja Como For
Autor: Mallu Magalhães
Intérprete: Banda do Mar

Sem Ar
Autores: Gus Levy e Jose Gil
Intérprete: Sinara

Trem-Bala
Autor: Ana Vilela
Intérprete: Luan e Ana Vilela

Vai Começar a Ousadia
Autor: Andre Vieira, Wallace Vianna, Anderson Santos de Paula (MC PR)
Intérprete: MC Gui

Castle On The Hill
Autor: Benjamin Joseph Levin e Ed Sheeran
Intérprete: Ed Sheeran

Ijime Dame Zettai
Autor: Kei Kobayashi, Norikazu Nakayama, Tatsuya Tsubono, Takeru Youda
Intérprete: BabyMetal

In Between Days
Autor: Smith Robert James
Intérprete: The Cure

Let’s Hurt Tonight
Autor: Noel Zancanella e Ryan Tedder
Intérprete: One Republic

She Moves In Her Own Way
Autor: Max Rafferty e Luke Pritchard
Intérprete: The Kooks

Song About Love
Autor: Jake Bugg e Iain Archer
Intérprete: Jake Bugg

You Can’t Always Get What You Want
Autor: Keith Richard e Mick Jagger
Intérprete: Smoking Stones

Fonte: GShow

Por fim, eu achei muito boa a mini-novela e com certeza vale a pena assistir.

Deixe uma resposta