R.I.P. Chester Benington

Ontem a noite fiquei sabendo de uma coisa horrível, o Chester Bennington, vocalista do Linkin Park, foi encontrado morto em sua casa. Detalhe, segundo o site TMZ, ele se enforcou, assim como o cantor Chris Cornell  e meu amigo que se matou este ano. Não tive como não associar, fiquei super abalada. Ainda mais porque ouvi muito Linkin Park com esse meu amigo.

Na verdade, já faz alguns anos que não escuto LP, eles mudaram muito, assim como eu mudei. Mas não tenho como negar que esta banda fez parte da minha adolescência, representou – e representa – muito em minha vida. Me lembro muito bem da primeira vez que vi um clip deles, era Points Of Authority, na época me perguntei: Meu Deus! Quem é esse cara de cabelo vermelho, cheio de piercing, super gato? Era ele, minha primeira paixão. Alguns dias depois discutia com uma amiga como Chester era muito mais bonito que o Mike, e por fim, entramos em um acordo, eu “ficava” com o Chester e ela com o “Mike”. Nunca mais brigamos.

linkin-for-article.jpg

Assim como eu me lembro que quando o Linkin Park veio ao Brasil pela primeira vez eu chorei muito, pois era muito criança, 14 anos, eu acho,  para ir em um show desses, minha mãe nunca deixaria e eu, “a revoltada” ouvi LP o fim de semana todo, na maior altura. Só para incomodar ela.

Por anos fui apaixonada pelo LP, e nunca encontrei um cover digno de dizer que era bom como a banda. Amores vieram e foram e o LP sempre foi uma ligação com todos eles. Inclusive a intensidade que as músicas nos traziam. Só de pensar na letra da minha música favorita, me arrepio:

“These are the places that I can’t feel
Torn from my body my flesh it peels
During this ride we can cut off what we like

Waiting alone I cannot resist
Feeling this hate I have never missed
Please someone give me a reason to peel off my face
Blood it is pouring… ” – One Step Close (live)

Essa estrofe de One Step Close, apesar de estar no Reanimation, eu só ouvi pela primeira vez no Live in Texas, e depois encontrei um CD – sim era da época do CD –  do Reanimation eu ouvi o original.

61+hiLbnJ9L._SS500.jpg

Aliás, mais do que as letras e dos gritos de Chester, sua voz sempre me conquistou. Quando ouvi pela primeira vez Breaking The Habit, adorei, mas quando ouvi acapella, foi emocionante.

Que voz é essa gente? Meu Deus, quanto talento!

Enfim, Chester era um cara que fez a diferença na vida de muitos adolescentes do anos 2000, tanto pelas sua voz, pelas suas músicas e principalemtne por fazer parte do Linkin Park. Infelizmente, nunca saberemos porque ele se foi, só imagino que para tirar sua própria vida, no mínimo ele estava se sentindo sozinho. E ao mesmo tempo, nem tinha noção, do quão era querido por todos nós.

Ví esse post no meu face e achei legal compartilhar:

Eventos repentinos como esses como este nos fazem pensar na leveza da vida. Um sopro e já éramos. Mas ao invés de pensar no quão triste estamos, vou colocar as músicas do LP que eu mais gosto e que fizeram diferença na minha vida. Espero que vocês curtam e se identifiquem!

Crítica “13 Reasons Why ” (contêm spoilers)

Assisti ao trailer da nova série da Netflix 13 Reasons Why e fiquei super ansiosa para ver. Então, fiz uma maratona neste sábado, só para falar a vocês o que achei da história.

A série é baseada no clássico romance de Jay Asher, que conta a história Clay Jensen, um tímido estudante do ensino médio, volta para casa da escola um dia e encontra um pacote enviado anonimamente, em sua porta. Após a abertura, ele descobre que são sete fitas cassete gravada pela falecida Hannah Baker, sua colega que recentemente cometeu suicídio.  Nas fitas, Hannah explica á treze pessoas como eles desempenharam um papel na sua morte, apresentando treze razões que explicam porque ela se matou.

Desde o inicio é incrível como o enredo nos prende, nem acreditei que havia chegado ao fim, quando cheguei. E posso dizer que fiquei por todo esse tempo esperando que Hannah não estivesse morta, foram tantos mal entendidos, mentiras e fofocas que achei que não era possível que isso realmente fosse acontecer, mas é sempre assim. Não é? A vida real não tem final feliz.

A série é intensa, traz sexo, drogas, estupro, etc. Nos faz ver os dois lados da história, como o bullying afetou Hannah e como os agressores foram afetados. Mais do que isso, mostra como o relacionamento entre pais e filhos afetam nas nossas escolhas. Existem alguns pontos que eu gostaria de abordar, mas se você ainda não viu a série e quer evitar spoilers, não leia o paragrafo a seguir.

Primeiramente vou falar um pouco sobre cada um dos treze porquês de Hannah ter se matado.

  1. Justin Foley, deu o ponta pé oficial na depressão de Hannah ao tirar a foto e dar a entender que houve algo a mais, por mais que não tenha espalhado o boato ele não fez nada para impedir, mesmo sabendo o quanto Hannah era uma garota legal. Na minha opinião, tem culpa.
  2. Alex Standall, deu brecha para iniciar um grande assédio sexual para cima de Hannah, mas ao mesmo tempo, quantos de nós nunca falamos o que um ou outro tem de bom ou ruim em cada na adolescência? Eu acho que ele teve culpa em envolver Hannah em algo que ela não tinha nada a ver, mas a escola foi a culpada por deixar aquilo se espalhar. perpetuando assim a reputação de promiscuidade dela.
  3.  Jessica Davis, diria sua ex-melhor amiga, foi totalmente ridícula em não acreditar na amiga e ainda se envolver com Justin. No fim ela estava tão perdida quanto os outros, pois havia sido vítima e nem sabia.
  4. Tyler Down,  fez com que Hannah se sentisse mais insegura ainda e contribuiu para que mais um boato fosse espalhado pela escola, talvez por sofrer bulliyng ele não tenha tanto poder, mas ele tinha provas de tudo e poderia ter acabado com aquilo há muito tempo.
  5. Courtney Crimsen, de todos os envolvidos, acho que é o que eu mais entendo, imagino a vida que ela teve, exatamente pelo mundo ser como é.  Apesar de ser  manipuladora e usar as pessoas para a sua popularidade. Eu imagino a pressão que ela deve sentir dos pais e da sociedade, afinal se ela se assumir gay será mais um índice para todos dizerem que casais gays não podem adotar. Claro não retiro a culpa dela, pois ela poderia ter evitado a morte de Hannah , sem contar que um beijo não diz nada. Sei lá que adolescentes mais bregas são esses?
  6. Marcus Cooley, um babaca, simplesmente isso. Um cara escroto que simplesmente fez o que fez porque quis e nem mesmo depois sentiu remorso.
  7. Zach Dempsey,  após ser rejeitado muitos de nós pode pensar em querer ferrar com o outro, mas Zach poderia ter feito algo mais, se imposto, entendo que essa fase não é fácil para se impor e ser quem quiser ser, mas ele poderia ter feito algo.
  8. Ryan Shaver, acredito que vazar o poema realmente seria algo bom para Hannah, ela com certeza se tivesse conseguido seguir em frente teria visto aquilo como um rompimento da zona de conforto e se dedicaria mais a escrita. No entanto Ryan fez isso por puro egoismo e nem mesmo pensou no que ela poderia sentir.
  9. Justin Foley (mais uma vez), é mais do que certo que Justin é parcialmente responsável pelo estupro de Jessica. Mas Hannah também poderia ter feito algo, a questão é será que alguém a ouviria?
  10. Sheri, estava dando uma carona para casa de Hannah da festa onde Jessica foi violentada, quando ela bateu o carro e derrubou um sinal de “pare”. Mais tarde naquela noite, um idoso foi ferido e um estudante de sua escola foi morto em um acidente causado pela falta do sinal. Um erro pequeno, grandes consequências.
  11.  Clay Jensen, o cara certo. Clay não era para estar na lista, mas ela mandou as fitas porque lamentou nunca ter a oportunidade de conhecê-lo melhor. Além disso, ela sente que lhe deve uma explicação para seu comportamento. Acho que Clay é tão culpado quanto Hannah nesse jogo, em uma série que aborda o feminismo em várias formas, acho estranho ela nunca ter tentado falar com Clay o que sentia, afinal não cabe somente ao homem dar o primeiro passo.
  12. Bryce Walker,  o MAIOR CULPADO DE TODOS, abusou sexualmente de Jessica e Hannah, sem contar outras meninas que provavelmente ele também deve ter abusado. Mesmo Hannah admitindo que ela não tentou o impedir, acho que já sabemos que é preciso ter um consentimento sólido para um ato sexual acontecer e é visível que Bryce  se aproveitou dos boatos que se espalharam na escola.
  13. Sr. Porter, talvez o segundo maior responsável pela morte de Hannah, mas eu imagino a vida desse conselheiro que atende centenas de alunos e precisa dar a atenção correta a cada um deles e reponde por isso, o conselho da escola que deveria ajudá-lo esconde coisas assim como todo adolescente.

Todo o enredo mostra uma posição complicada para os envolvidos entre adolescentes sem autoestima, agressores, professores e pais. Acho que a maior responsabilidade é dos pais e é possível ver a mudança de Hannah com a família ao longo dos episódios, não tem como dizer que não havia indícios e pior a situação dos pais, depois da morte de não saberem o que a levou a fazer isso só mostra o quanto eles estavam mais afastados da filha do que imaginavam.

Por fim, quero dizer que eu entendo Hannah, há momentos na vida de quem sofre com depressão que acabar com a vida parece a melhor opção. Não encontramos saídas e nos vemos como o maior problema na vida de quem amamos, recentemente eu mesma pensei em fazer algo assim, na verdade eu não teria coragem de me matar, mas tinha vontade de morrer. São situações parecidas, mas não semelhantes. Ao assistir a cena de suicídio de Hannah eu me imaginei naquela situação. Depois de passar por tantos problemas e se sentir tão sozinha e abandonada ter aquele tempo, aquele intervalo entre cortar os pulsos e morrer definitivamente, seja a pior das solidões encaradas.

Essa série mexeu comigo de uma forma bem complicada, me vi na pele da Hannah, não por sofrer bullying mas por sofrer com a depressão e chegar a pensar que meu único fim era esse. Se você também se sente ou sentiu assim, procure ajuda, seja com quem for, não deixe de tentar continuar vivendo.

10 músicas da minha infância/adolescência que fazem sentido pra mim até hoje

A cada fase da nossa vida, músicas e ritmos marcam momentos e fazem histórias. Mas tem aquela que sempre marca e quando passamos por algum momento, de alegria, tristeza, solidão…enfim, é exatamente quando aquela música faz mais sentido do que nunca.

Neste post preparei aqui uma Playlist com as 10 Músicas que mais marcaram a minha época de Criança/Adolescente e que até hoje tem um grande significado pra mim. Algumas são mais do que apenas músicas, são hinos, é minha vida e um álbum inteiro de grandes memórias.

E aí? preparados para um momento nostalgia? Hahaha… Então aumenta o som que você vai ter vários momentos de boas lembranças (ou não) do seu passado.

01 – Wannabe – Spice Girls

Essa definitivamente é a primeira musica das Spice Girls que eu ouvi e sendo assim, foi meu primeiro contato com o Girl power, empoderamento, girlbands e com o pop fora do Brasil. E claro, minha primeira forma de representatividade. Afinal Mel B me encorajou a ser eu mesma e ainda que eu tinha apenas 07 anos,  gostei e ainda gosto muito dessa musica.

02 – Breaking the Habbit – Linkin Park

“I don’t know what’s worth fighting for Or why I have to scream I don’t know why I instigate And say what I don’t mean I don’t know how I got this way I know it’s not alright So I’m Breaking the habit I’m breaking the habit Tonight”
Minha adolescência foi cheia de tristezas e dramas, mas nunca uma musica/banda tinha feito tanto sentido quanto Linkin Park. Até hoje eu sempre escuto essa musica e reflito na minha vida e nos hábitos que eu preciso quebrar. Gosto ainda mais da versão acústica!

03 – Medo da chuva – Raul Seixas

“Hoje eu sei
Que ninguém nesse mundo
É feliz tendo amado uma vez
Uma vez”
Rompimento e desprendimento é exatamente isso que essa música significa pra mim. Essa musica me ensinou que nem tudo é pra sempre, e devo ter sempre em mente que tudo pode mudar a qualquer momento. Sem possessividade sem viver a vida dos outros.

 

04 – P!nk – Dont Let Me Get Me

“Everyday I fight a war against the mirror
Can’t take the person staring back at me”
Desajustada, mal compreendida e cheia de problemas. Mais uma música que define minha adolescência. Não conheço nenhuma cantora tão “foda-se” além da P!nk. Ela é muito boa e eu adoro a voz rouca dela.

05 – Beyoncé – DeJa vu

Como devem ter percebido, eu amo Beyoncé e mais do que qualquer outra artista ela é DEUS pra mim. Além da maior representação  de beleza afro da minha vida, bootylicious e tudo que se pode esperar de uma DIVA. Mas porque essa música, ao contrario do primeiro album da Beyoncé, com o hino Crazy in Love, eu comecei a gostar mesmo da Beyoncé com o clipe de Deja vu. Eu simplesmente amei tudo e então fui atras e descobri que já gostava de Yoncé no Destiny’s Child mas não sabia. rsrs

06 – Backstreet Boys – As long as you love me

Pura infância, amores que eu nem tinha sentido, mas já sabia quais músicas recorrer nos piores momentos. Ahh os BSB, sonho meu. Claro que nunca será apenas uma fase, fará parte da minha vida. E essa música, tem um solo do Nick Carter que eu adoro ouvir, mesma lógica da P!nk, voz rouca me fascina.

07 – Charlie Brown Jr – Lugar ao Sol

Sempre gostei de Charlie Brown Jr. (meu primeiro show de rock) e realmente existe mais de uma música deles que eu gosto, mas hoje eu diria que essa representa um crescimento ao qual eu passei. Sinto que ainda tenho muito à melhorar, mas é muito saber que passamos por uma etapa e que estamos melhor.

“Que bom viver, como é bom sonhar
E o que ficou pra trás passou e eu não me importei
Foi até melhor, tive que pensar em algo novo que fizesse sentido”

08 – Cpm22 – Não sei viver sem ter você

“Chegou a hora de recomeçar!
Acreditar, que pode ser, melhor assim
Tentar crescer, fingir feliz,
E te deixar para depois, a cada dia que eu morrer,
Espero que você morra dois.”

Essa música, adolescência… emoções e rock. CPM 22 é tudo de bom, gente… quando eu quero desestressar é exatamente essa musica que eu ouço e tiro tudo de ruim da minha cabeça.

09 – Molejo – Cilada

Molejo é vida! Trash mais cool do Brasel, rs. Cilada é hino, nada a declarar… Apenas adoro cantá-la no Karaokê.
10 – Queen – Don’t Stop me Now

Amo o Freddie Mercury e essa música do Queen é uma das favoritas, “So don’t stop me now don’t stop me ‘Cause I’m having a good time having a good time”. Quem não quer se sentir como Freddie se sentiu ao compor essa música. Hino, sempre escuto para me animar e para celebrar.

Presente DIY – 15 anos

Ano passado minha prima fez 15 anos. E, para presenteá-la, eu pensei muito no que poderia dizer, no que seria legal eu mesma ter ouvido quando eu completei esta idade. Então, pensando nisso, eu escrevi uma carta e fiz um Kit “Bem Vindo à Adolescência” vou postar aqui, espero que possa ajudar outros.

Isabella,

Hoje é um dia muito especial para você e sendo assim eu adoraria te dar aquilo que você mais deseja, provavelmente não é esta carta que estou escrevendo. Mas, pensando no meu passado, eu imagino que se eu tivesse recebido algo assim, de alguém tão próximo quanto nós duas somos, eu ficaria muito feliz.

Sabe, quando eu tinha 15 anos, me achava muito adulta e madura para a minha idade. Quando fiz 18, olhava para mim mesma aos 15 e pensava: Como eu era imatura! Aos 21, pensava nos meus 18 e dizia: Como eu era bobinha! Agora aos 25, lembro dos meus 21 e penso: Como eu amadureci! Resumindo, sempre que eu olhar para trás, eu vou perceber que melhorei, que amadureci, e isso significa que estou melhorando.

E se eu pudesse voltar no tempo, é bem provável que eu faria tudo do mesmo jeito. No entanto, haveria algumas coisas que eu gostaria de dizer à mim mesma. Como não é possível, o mais próximo disso que posso fazer é passar essas “dicas” para alguém que eu amo. E adivinha, esse alguém é você!

  1. Tudo passa. As coisas mudam, tanto as boas quanto as ruins.
  2. Aproveite a vida. Faça as maluquices que quiser, não se reprima pois experiências como essa vão te fazer falta no futuro.
  3. Não tenha medo de arriscar. Você cometerá erros, é normal. Apenas atente-se a aprender com eles.
  4. Não se cobre tanto. Ninguém é perfeito, todos erramos e erraremos o importante é aprender com os erros.
  5. Não tenha pressa em crescer.
  6. Estude muito, sim, leia, releia, veja filmes, aproveite qualquer oportunidade para aprender algo.
  7. Não chore por tudo de ruim que possa acontecer. Tente entender que o que aconteceu, aconteceu. Agradeça a oportunidade de aprender a lição e siga em frente com de cabeça erguida.
  8. Deixe que aquele menino goste de você, aproveite para se ver da mesma forma que ele te vê.
  9. Tire sempre a maquiagem antes de dormir e use protetor solar.
  10. Você ainda não é madura, infelizmente é verdade. Existem muita coisa para aprender.
  11. Ele pode ser o amor da sua vida, mas se não for, não se desespere, ainda há muitos outros amores.
  12. Não seja ansiosa. O mundo não vai acabar amanhã, vá com calma e tudo acontece na hora certa.
  13. Preocupe-se sempre com o que é melhor para você e não para suas amigas.
  14. Você é muito, mas muito mais bonita, inteligente, simpática e tudo mais do que você imagina.
  15. Não deixe que ninguém decida nada por você. Aprenda a tomar decisões, seja o sabor do sorvete ou o que fazer da vida.
  16. Guarde dinheiro.
  17. Seus pais são seus únicos e verdadeiros amigos.
  18. Por fim, aproveite, pois sua vida está só começando.

Eu teria ainda mais alguns conselhos a dar à você mas acho que esse texto já está longo o suficiente e você já entendeu. Lembre-se apenas que, o mais importante de tudo é ter certeza de tudo o que faz, para não se arrepender depois.

Um grande beijo.

O presente DIY ou Faça Você Mesmo é o seguinte:

­ KIT “Bem Vindo à Adolescência”

Esta caixa contém

  • Um porta-retratos para que você nunca se esqueça dos bons momentos que teve;
  • Uma receita de um doce, para que você sempre adoce sua vida;
  • Uma maquiagem que te deixará cada dia mais linda e confiante;
  • Uma história que trará grandes aprendizados para a sua vida;
  • Uma Boneca para você nunca esquecer a criança que existe em você;
  • Uma linda “imagem” para que você aprecie as criações de Deus;
  • E, por fim, meu telefone pra que a qualquer momento e a qualquer hora você ligue e fale comigo.