It – A coisa e Annabelle 2 – A Criação do Mal

Já faz um tempinho que assisti Annabelle 2 – A Criação do Mal, mas It – A Coisa eu vi esse fim de semana. Como não havia falado sobre nenhum deles, decidi escrever um post falando um pouco sobre o que achei de cada um.

Antes de mais nada quero dizer que adoro filmes de terror, como vivo falando por aqui, mas esse meu gosto foi um pouco esquecido nos últimos meses, pois eu tava dando uma chance para os filmes de “amorzinho”. Quando saiu Annabelle corri para o cinema para ver, e como já fazia um tempo, fiquei morrendo de medo por uns dias, mas algumas semanas depois assisti de novo e pude ver melhor do que se tratava e aqui estou.

Anabelle – A Criação do Mal

Eu não tenho muito o que dizer do filme, ele é cheio de suspense clichê? É, mas vale a pena. Nessa continuação, ou melhor, o prequel  o drama passa em torno de um orfanato de meninas, e em específico uma menina com deficiência. Um casal perdeu a filha, fez pacto com o capiroto para vê-la e depois acha interessante chamar meninas inocentes sem família para morar na casa, tá, ok!

giphy

É legal ter uma pequena referência de A Feira no filme, assim como entender melhor a origem de Annabelle, que na minha cabeça já estava bem explicada no primeiro filme, mas eu senti um apelo muito grande ao suspense barato, tipo, silêncio,  vai acontecer algo… ah não é nada, é sim. Sabe? Talvez eu esteja sendo chatinha demais, mas eu daria uma nota 7 para Annabelle, falando isso porque da primeira vez fiquei com muito medo, mas na segunda eu não achei assim tão assustador. Até porque, o primeiro filme me dá medo até hoje, principalmente na cena das escadas do prédio ou aquela do prédio.

giphy-1

Enfim, acho que vale a pena, mas assim como Sobrenatural, talvez esteja perdendo o foco.

It – A Coisa

giphy-2

Até o momento, o melhor filme de 2017. Eles fizeram uma mistura de Stranger Things com o filme de 1990, ficou excelente. Senti falta de algumas coisas, mas espero que esteja na continuação.

O que tenho de considerações? Primeiramente, adorei o elenco. Eles escolheram muito bem os personagens Finn Wolfhard, como Richie ficou excelente. Os melhores comentários, melhores piadas e melhor personagem ever! Pode ganhar quantos prêmios quiser… Claro que todos os outros atores colaboraram e muito com isso. Mas ele se destacou.  A cena do Eddie com o braço quebrado, perfeito!

Em pontos negativos, acho que sensualizaram demais a Bev, ela no original de 1990 é apenas uma menina, criança como as outras, e neste ela já no inicio tem uma fama de puta. E é cobiçada de uma forma muito sexual pelos outros garotos. Sem contar que ela parece ser mais velha que eles. Fiquei um pouco decepcionada com isso.

Além disso, acho que o filme foi muito bom. Um mix de comédia e terror assim como o filme Corra! que também amei. Só acho que o Pennywise deveria ser um pouco mais assustador, tipo o Twisty de AHS.

giphy-3

Bom é isso, se eu lembrar de algo mais volto e falo com vocês…rs Se você já assistiu e quer deixar sua opinião fique a vontade.

 

 

 

 

Empresa lança bonecos de pelúcia inspirados em personagens de terror

A empresa Funko, lançou uma nova linha de brinquedos inspirados em personagens de filmes de terror.

A coleção se chama ‘Horror Plushies’, os bonecos são de pelúcia. Veja a fotos dos bonecos:

 

“Alguns personagens de terror podem te dá pesadelos ou persegui-lo ao redor do bairro, mas isso não acontecerá. Eles são horrivelmente fofos! Freddy Krueger, Jason Voorhees, Michael Myers e Pennywise agora estão se juntando à linha ‘Horror Plushies’.”

Os bonecos você encontra no site da empresa Funko e estarão disponíveis para a venda a partir de setembro.

Repost – A Hora do Medo

O melhor do Terror vem por aí

Fiquei um tempo ocupada com outras coisas e adivinhem, váaaarios teasers saíram e eu tive overdose de ansiedade. Então decidi reunir os últimos trailers que mais me animaram em um post só para que vocês tenham overdose assim como eu tive.

American Horror Story

The Walking Dead

Stranger Things

The Exorcist

 

the-exorcist-season-2-poster_0.jpg

Tudo isso sem contar a segunda temporada de The Exorcist que será lançada. O canal FX, divulgou que a segunda temporada da série estreia dia 29 de setembro no Brasil, no mesmo dia que nos EUA.

A segunda temporada da série, traz o Padre Tomás Ortega (Alfonso Herrera) e Marcus Keane (Ben Daniels), que acabam de deixar os hábitos, saem de Chicago e vão em busca do mal. Cruzando o Atlântico, o Padre Bennett (Kurt Egyiawan) tenta se desvencilhar daqueles que dentro do Vaticano se voltaram contra Deus.
Finalmente, Tomás e Marcus são levados até Andrew Kim (John Cho), um ex-psicólogo infantil que dirige uma casa de criança, em uma isolada ilha privada de frente para a costa de Seattle. Quando uma das crianças sob o cuidado de Andrew é atacado por uma força poderosa, Tomas e Marcus se dirigem até o oeste, colocando-se novamente em um caminho que irá se colidir com o inferno.

É ou não é para ficar ansiosa? Pois bem já tenho o que fazer o resto do ano, agora é só me preparar. Risos.

 

Aqui estão as coisas mais assustadoras que chegam a Netflix em julho

Se você vai estar de férias em Julho, ou só quer ter o que assistir nos fins de semana aproveite a lista a seguir. Alias, se é fã de terror, aproveite MUITO as dicas de estreias na Netflix.

Here Alone

Um ano depois de uma epidemia no ar soltar a população mundial, uma jovem está lutando para sobreviver na floresta. Quando ela se depara com outros dois sobreviventes, ela deve decidir se pode confiar neles ao confrontar seu passado e tentar ficar viva.

Taking Lives

Angelina Jolie estrela como agente do FBI Illeana Scott, que está rastreando um assassino em série no Canadá. O assassino personifica suas vítimas e chamou a atenção da polícia, que trouxe Scott (Jolie) para investigar. Ela acaba fazendo amizade com um comerciante de arte que testemunhou os crimes, e seu relacionamento se torna crucial em sua busca pelo assassino.

The Void

Depois de perseguir uma figura encharcada de sangue que ele vê atravessando uma estrada escura, um policial está preso em um hospital que hospeda vários pacientes e pessoais que se tornam algo desumano. Ele deve tentar escapar do hospital, que é um portal para algo muito pior, antes que seja tarde demais.

The Invisible Guest

Quando o corpo de seu amante é encontrado ao seu lado em um quarto de hotel fechado, um jovem empresário e um advogado de prestígio devem trabalhar juntos para provar sua inocência e descobrir o que aconteceu exatamente.

Delicatessen

Situado na França pós-apocalíptica, um senhorio publica anúncios para handymen apenas para embalá-los como uma fonte de comida barata para seus inquilinos. As complicações surgem quando o último contratado (e a vítima em questão) se apaixona por sua filha.

Dark Night

Com base no assassinato de 2012 Aurora, CO, Dark Night conta a vida de 6 estranhos que estão presos em um teatro durante um tiroteio.

IZOMBIE – SEASON 3

Liv descobriu que há mais zumbis que moram em Seattle do que pensava originalmente. Ela também descobre que um empreiteiro militar privado está empregando um “exército de zumbis” para o dia em que os humanos aprendem que os zumbis altamente contagiosos estão vivendo entre eles. Depois de ser exonerado pelos crimes do Caos Killer, os principais terrenos trabalham. Mas toda a equipe pede risco de ser descoberta pelo que realmente são.

Territories

Cinco amigos que retornam do Canadá depois que um casamento são interrompidos pela patrulha da fronteira. A patrulha da fronteira os mantém refém e as coisas se tornam um pesadelo horrível.

Fragmentado – Resenha Crítica 

Assisti agora pouco ao filme Fragmentado e tenho tanta coisa para falar que não aguentei e estou escrevendo este texto. 

Sinopse

Kevin (James McAvoy) possui 23 personalidades distintas e estas estão sempre a disputa para ficar “sob à luz” (simbolismo para a realidade). Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar.

Fragmentado é um filme de terror psicológico escrito e dirigido por M. Night Shyamalan, que conta a história de Kevin (James McAvoy) , que possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. 
A atuação de James McAvoy é sem dúvida incrível. Sem  maquiagem ou cenário, James consegue dar forma aos diferentes personagens muitas vezes na mesma cena, carregando-os de trejeitos, vocabulários e diferentes entonações de voz.
Só isso já faz qualquer um fã de filmes do gênero querer assistir. Mas o que eu não sabia e bem no fim do filme descobri é que o diretor  tinha originalmente escrito Kevin em seu filme anterior Corpo Fechado, mas removeu o personagem para melhorar a história do filme. 
Corpo Fechado é um dos meus filmes preferidos, me lembro bem que quando assisti fiquei com aquela questão de se seria ou não ingenuidade do Mr. Glass (Samuel L Jackson) provocar tantos acidentes. Afinal, ele só procurava alguém que fosse o oposto dele e imaginem como ele deve ter sofrido durante a vida dele.

Voltando ao filme Fragmentado, no final  David Dunn (Bruce Willis) aparece usando um uniforme com seu nome, e faz uma menção a Elijah, vulgo Mr. Glass. O que reforça o fato dos filmes dividirem o mesmo universo.
Pesquisando na internet encontrei algumas  teorias de que Kevin Crumb aparece em um breve momento de Corpo Fechado. Em um determinado momento do filme, David Dunn se esbarra com uma mãe que arrasta o filho pelos braços e ao entrar em contato com ela é possível ouvir os gritos da criança indicando o abuso que esta sofria da mãe. Confira o momento:


Segundo o diretor, os dois filmes fazem parte de uma trilogia e um terceiro filme com um embate entre os três personagens está em pré-produção. Fica a curiosidade de saber como funcionará a dinâmica entre Dunn, Glass e Crumb. Afinal de contas, apesar de Crumb e Glass serem os vilões, a morte do pai de Kevin foi ocasionada pelas ações de Mr. Glass.

Outra ponto interessante de Fragmentado é que o roteiro se aprofunda muito em Casey, uma das garotas raptadas, que vira o fio condutor da narrativa que, além do sequestro, traça um paralelo com o passado da jovem em cenas que aos poucos vão explicando suas motivações, personalidade e habilidade em lidar com seu sequestrador. 
Por fim posso dizer que este filme é excelente. Se você assim como eu adora um terror psicológico vai adorar o filme e com toda certeza vai ver Corpo Fechado denovo, assim como eu. Então não perca tempo assista e depois vem aqui dizer o que achou. 

Sinopse de ‘A Freira’ sai

Como sabem, sou apaixonada por filmes de terror, essa semana saiu uma notícia no site A Hora do Medo, com a Sinopse do filme ‘A Freira’, um spinoff de Invocação do Mal.

Segundo o site as gravações iniciaram no dia 03 de maio, na Romênia e foi divulgado um comunicado a imprensa com a sinopse oficial do filme.

“O cineasta James Wan, diretor do sucesso recordista, “Invocação Do Mal” e “Invocação Do Mal 2”, explora outro canto sombrio desse universo com o filme da New Line Cinema “The Nun”. Dirigido pelo premiado diretor Corin Hardy (“A Maldição da Floresta”), o novo “fright-fest” começou sua produção em locações na Romênia. Ele será produzido por Wan através de sua produtora Atomic Monster, juntamente com Peter Safran, que produziu todos os filmes da franquia “Invocação Do Mal”. “The Nun” está programado para ser lançado em 13 de julho de 2018.

“Quando uma jovem freira de uma abadia reclusa da Romênia tira a própria vida, um padre com um passado assombrado e uma noviça prestes a fazer seus votos finais são enviados pelo Vaticano para investigar. Juntos descobrem o segredo profano da ordem. Arriscando não só suas vidas, mas sua fé e suas próprias almas, eles confrontam uma força malévola na forma da mesma freira demoníaca que aterrorizou o público em “Invocação Do Mal 2”, conforme a abadia se torna um terrível campo de batalha entre os vivos e os amaldiçoados.”

“The Nun” traz Demian Bichir (“Uma Vida Melhor”) como o Padre Burke, Taissa Farmiga (“American Horror Story”) como Irmã Irene, Jonas Bloquet (“Elle”) como o morador local Frenchie, Charlotte Hope de (“Game of Thrones”) como Irmã Victoria da abadia, Ingrid Bisu (“Toni Erdmann”) como Irmã Oana e Bonnie Aarons, retomando seu papel de “Invocação Do Mal 2” como a personagem-título.

O catálogo da Atomic Monster de Wan inclui “Annabelle” e “Quando As Luzes Se Apagam”, assim como o próximo “Annabelle 2 – A Criação do Mal”, com Wan servindo como produtor em todos. Co-criador das franquias “Jogos Mortais” e “Sobrenatural”, Wan dirigiu o sucesso mundial “Velozes e Furiosos 7”, e é o escolhido para dirigir o tão aguardado filme “Aquaman”.

Safran também produziu a sequência “Annabelle 2 – A Criação do Mal”, que estreia em 11 de agosto e está produzindo “Aquaman”.

Hardy dirigirá “The Nun” a partir de um roteiro de Gary Dauberman (“It: A Coisa”), com uma história de Dauberman e de James Wan.

Servindo como produtores executivos estão Gary Dauberman e Todd Williams, com Michael Clear como co-produtor.

O diretor de fotografia Maxime Alexandre (“As Vozes”, “Annabelle 2 – A Criação do Mal”), a produtora Jennifer Spence (“Quando As Luzes Se Apagam”, os filmes “Sobrenatural”), o editor Michel Aller (“Quando As Luzes Se Apagam”, “Atividade Paranormal: Dimensão Fantasma”), e a figurinista Sharon Gilham (“Black Mirror” da TV).

“The Nun” é uma apresentação da New Line Cinema, uma produção da Atomic Monster/Safran Company, e será distribuída pela Warner Bros. Pictures, uma empresa de entretenimento da Warner Bros.”]

Além disso, o site mostrou também duas fotos que foram postadas pelo diretor  Corin Hardy,  dos bastidores do filme ‘A Freira’

 

A Bela e a Fera (2017) -Crítica (suspeita) de uma fã

Finalmente assisti. Graças ao bom Deus, ontem depois de ir em dois shoppings e tentar três sessões que haviam se esgotado eu, finalmente, consegui assisti o MA-RA-VI-LHO-SO A Bela e a Fera. Estava super ansiosa, como disse aqui, principalmente pelo fato de ter ouvido inúmeras criticas positivas e também por vários críticos falarem que era exatamente igual a animação de 1991.

20170313-bela-e-a-fera-2017.jpg

Depois de muita ansiedade, venho aqui dizer o quanto esse filme é lindo e vale a pena. Vocês sabem que eu amo filmes de muitos gêneros, em especial os de TERROR, mas o preço dos ingressos do cinema estão um absurdo. Então normalmente espero para assistir os meu filmes quando lançam nos canais da TV a cabo. Mas, alguns filmes valem a pena, por exemplo gasto muito dinheiro assistindo os filmes de Terror. Mas, dessa vez a minha infância falou mais alto, aproveitei a companhia e fui logo assistir o mais belo filme da Disney de todos os tempos, na minha opinião é claro.

O live-action do clássico ficou como o desenho, algumas pequenas alterações foram feitas, mas que esclarecem alguns pontos essenciais para entender melhor o porquê de cada personagem, ser como é. Por exemplo, (SPOILER) o fato da Bela não ter memórias da mãe, pois a mesma morreu devido a Peste. Já em relação a Fera (que eu acho deveriam ter revelado um nome)  é revelado o motivo dele ser um príncipe “mal, egoísta e grosseiro” como citado no inicio do filme.

images.jpg

O que eu mais gostei foi da apresentação dos personagens, da introdução diferenciada do filme e da REPRESENTATIVIDADE. Imaginem só, quando a animação foi lançada eu tinha 2 anos de idade e se tornou um dos meus filmes preferidos até os dias atuais. E todo este tempo, nunca havia visto uma história com tantos negros, afinal é uma “região” onde os brancos dominavam. No remake existem tantos negros que não estão papéis ruins, sabe? Pessoas boas que fazem e querem o bem, que me senti muito bem representada. Vou até falar aqui que não imaginava que iriamos ter casais inter-raciais. Realmente eu me emocionei, pois não esperava por isso.

1280_beauty_and_the_beast_poster_gugu_mbatha_audra_macdonald.jpg

Outra coisa que eu já sabia, mas estava em dúvida como seria é a questão da homossexualidade sendo tratada em um filme tão clássico. Vi muitos falando sobre o assunto, mas esperei assistir o filme para dar minha opinião, eu – Ah Loka!- pensei que haveria um beijo gay e não apenas um personagem. De qualquer forma, vou explicar. Lefou, interpretado por Josh Gad (que por sinal ficou incrível), é um cara que está, não digo em dúvida sobre a sexualidade, mas em dúvida sobre seus sentimentos pelo amigo Gaston. Percebi que ele se importava demais com Gaston, a ponto de aceitar algumas coisas erradas em prol da felicidade do amigo. No entanto, conforme a trama vai indo e Gaston vai “enlouquecendo” por causa da rejeição de Bela, Lefou acaba visualizando a verdadeira face do amigo e até muda de lado. O personagem em si, é bem caricata e cheio de trejeitos, no entanto, por ser um filme infantil eu achei a abordagem perfeita. Poderia ter um beijo gay? Poderia, mas talvez fosse dar mais bafafá ainda. O que não é necessário no momento.

De maneira geral, posso dizer que esse filme é 10, ficou PERFEITO. E vale super a pena assistir, se ainda está em dúvida veja o trailer:

Antes de ir quero dizer que a trilha sonora é a mesma e eu fiquei que nem louca cantando no cinema.

O Demonologista – Considerações sobre a obra

Fui na Saraiva há alguns dias e não estava procurando nada específico, mas ao chegar lá pensei:

– Bem que eu podia achar um livro de terror bem legal!

Algumas estantes depois… SURPRESA!! Esbarrei no livro O Demonologista de Andrew Pyper, entre as críticas da capa estavam:

“Um romance inteligente, emocionante e absolutamente enervante. O dom de Pyper é que ele respeita profundamente seus leitores.”

GILLIAN FLYNN, autora do best-seller Garota Exemplar

“É impossível ignorar os demônios que têm uma presença tangível nesta história, mas o prazer mais profundo do romance vem da análise que o protagonista Ullman aplica a esses horrores […] Que venham os demônios.”

THE NEW YORK TIMES BOOK REVIEW

“A história mais convincente e assustadora que você vai encontrar este ano. O Demonologista mostra um escritor extremamente talentoso, produzindo um romance com uma misteriosa ameaça e profundidade. Aqueles de nós que escrevem histórias sobrenaturais não mencionam os nomes de Ira Levin, William Peter Blatty e Peter Straub em vão. Você vai ouvir todos os três associados a Pyper, e todas essas comparações são honestas, o maior elogio que posso oferecer.”

MICHAEL KORYTA, autor de The Prophet

“Uma história de horror incrivelmente lapidada, inteligente e tocante […] Há uma elegância narrativa e um domínio a respeito do que o mal pode significar.”

DAILY MAIL (REINO UNIDO)

“Muitos livros afirmam ser assustadores, mas este é realmente aterrorizante, do tipo não-leia-tarde-da-noite. Emocionante, convincente e muito bem escrito, O Demonologista faz O Bebê de Rosemary parecer um passeio no parque.”

S.J. WATSON, autor do best-seller Before I Go to Sleep

“Muito bem elaborado, delirantemente assustador e uma leitura compulsiva do começo ao fim. Imagine O Exorcista e O Código Da Vinci escrito por Daphne du Maurier. Não perca de jeito nenhum!”

JEFFERY DEAVER, autor do best-seller O Colecionador de Ossos

Muito bem, depois de críticas tão boas, não poderia deixar para trás. Além disso, a edição tem capa dura e um acabamento maravilhoso. Então, fiz o que qualquer fã de terror faria, comprei o livro e fiquei tão empolgada com a leitura que não desgrudei dele até terminar.

E aqui estou eu para fazer uma avaliação do romance de Pyper. Esse livro ganhou o Prêmio de Melhor Romance do International Thriller Writers Award (2014), concorrendo com autores como Stephen King. Além disso entrou em diversas listas de melhores livros de 2013, foi finalista do Shirley Jackson Award (2013) e do Sunburst Award (2014), chegou ao topo da lista dos mais vendidos do jornal canadense Globe and Mail e foi publicado em mais de uma dezena de países.

Apesar de tudo isso, eu confesso que me decepcionei muito com o livro, a trama realmente é envolvente, você não quer largar e quer saber logo o que vai acontecer, mas o final, MEU DEUS O QUE É AQUILO? Faltou algo sabe, me senti assistindo um filme que eu estava super ansiosa, mas que nos últimos 10 minutos me fez arrepender do tempo perdido assistindo aquilo.

Resumidamente, a história é inspirada na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido a qual o personagem, David Ullman é especializada. Inclusive na figura literária do Diabo, que, para David, é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas uma boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

Entre mortos, demônios, possessões podemos ficar na linha tênue entre a demência e a lucidez do protagonista. Por muitas vezes duvidei se ele realmente estava passando por aquilo ou se tudo não era um delírio. E, infelizmente, o final me deixou na dúvida se realmente tudo aquilo aconteceu ou não. Sei que está sendo feito uma adaptação cinematográfica, mas confesso que estou com receio de assistir e ter o entendimento diferente do que eu dei, já que o livro deixou bem aberto as interpretações. Talvez meu otimismo tenha influenciado e eu tenha torcido desde o início para que tudo terminasse bem, recusando os clichês de filmes de horror onde o fim não precisa ter nexo. No entanto, eu posso dizer que apesar de ter uma trama excelente este livro me decepcionou.

Para não dar mais spoilers vou ficar por aqui e indico a todos que possam fazer a leitura da obra, para que chegue a suas próprias conclusões. E depois podemos fazer uma discussão.

“A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe”, escreveu o poeta francês Charles Baudelaire.

 

A mente é onde eles habitam, e nela
Podemos fazer do inferno um paraíso, do paraíso um inferno.